219 347 706 Email Facebook
Windows

Microsoft prepara-se para dar uma nova cara ao Windows 10 na próxima grande atualização

16 de Novembro de 2018 às 09:16

Microsoft prepara-se para dar uma nova cara ao Windows 10 na próxima grande atualização

16 de Novembro de 2018 às 09:16
Windows


A Microsoft tem conseguido dar ao Windows 10 uma nova imagem, tendo recuperado a sua linha mais tradicional dos sistemas operativos. Lentamente este sistema está a ser totalmente remodelado e renovado, com muitas melhorias estéticas.Na próxima grande atualização, que a Microsoft deverá lançar no início do próximo ano, esperam-se ainda mais melhorias e novidades. Uma delas é a renovação da própria imagem do Windows 10.
Ainda não tem uma data definida para chegar, mas a Microsoft já começou a detalhar o que a próxima grande atualização do Windows 10 vai trazer. Focando-se na parte gráfica e estética, a Microsoft quer renovar a cara do Windows 10.Há um novo tema ligth no Widows 10Para isso, prepara-se para nos dar um tema light, que muda completamente a interface do Windows 10, indo desde o menu inciar até à própria barra de tarefas e passando por áreas como o teclado virtual.Para compor ainda mais este cenário de alteração, a Microsoft propõe também uma nova imagem de fundo, adaptada a toda esta nova imagem. Ativar este novo tema light requer apenas alguns cliques nas Definições.Alterações profundas nas atualizações do Windows 10Falar do Windows 10 nestes dias obriga necessariamente a referir as atualizações. A Microsoft volta a mudar mexer nesta área e agora dá aos utilizadores a possibilidade destes colocarem em pausa as atualizações de forma mais direta.Também a forma como estas atualizações vão ser instaladas está a mudar. O SO da Microsoft passa a contar com alguma inteligência nesta área e apenas fará a instalação em horas que o utilizador não esteja a usar a sua máquina.A snipping tool está também melhoradaA nova ferramenta de captação e recorte de imagens do Windows 10 foi também melhorada. Depois de ter recebido a possibilidade de ter um contador de tempo, tem agora a possibilidade de captar janelas de forma direta.Por outro lado, e para facilitar a sua utilização, esta ferramenta de captação de imagens passa a memorizar a opção do utilizador e sempre que é lançada é essa a opção a uso.Todas estas novidades, mesmo sendo apenas para a próxima grande atualização do Windows, estão já a ser disponibilizadas a todos os que estão no canal Fast do programa Insiders do Windows 10.source:pplware.sapo.pt

Sondagem: WhatsApp é o serviço de chat mais utilizado

18 de Setembro de 2018 às 09:39
WhatsApp


Com o objetivo de recolhermos informações dos gostos e interesses dos nossos leitores, elaboramos questões pertinentes, da atualidade, e colocamo-las na zona lateral do nosso site.Desta vez quisemos saber qual o serviço de chat que mais utiliza.Vamos conhecer todos os resultados!
Qual o serviço de chat que mais utiliza?No âmbito da sondagem realizada, obtivemos 4.359 votos e a maioria dos leitores indica que o serviço de chat que mais utiliza é o WhatsApp (47%; 2055 votos). Em segundo lugar foi escolhido o Facebook Messenger (30%; 1290 votos), seguido do Telegram (6%; 269 votos), Skype (4%; 187 votos) e iMessage (3%; 119 votos).Com um pouco menos de fotos ficou o Google Hangouts (2%; 79 votos), Viber (1%; 48 votos), IRC (1%; 47 votos); Line (1%; 25 votos); Snapchat (0%; 16 votos), Kik Messenger (0%; 15 votos) e WeChat (0%; 10 votos).Por sua vez, 5% dos votantes indica que o serviço que mais utiliza não consta na lista a votos.Resultados em gráficosource:pplware.sapo.pt

Portugal: A partir de 2040 será proibida a venda de veículos poluentes novos

10 de Setembro de 2018 às 09:22
Portugal Tecnologia


Depois de alguns países da UE terem balizado a data limite de venda de veículos poluentes, chega agora a vez de Portugal estabelecer a data de 2040 como limite para venda de veículos poluentes novos.Segundo informações veiculadas agora, o Governo compromete-se a que toda a frota da administração pública esteja já nos padrões zero emissões ou muito baixas emissões até 2030.
Veículos poluente: Europa 2030 e Portugal 2040Quando a Alemanha em 2016 estabeleceu o ano de 2030 para acabar com a produção de motores de combustão interna, o mundo percebeu que, se o maior produtor do mundo automóvel tem esta decisão, já não há volta a dar.Em Portugal, a partir de 2040 não vai ser possível encontrar à venda nenhum veículo ligeiro, de passageiros ou mercadorias, que seja responsável por emissões de dióxido de carbono.Como refere o Público, o Governo português vai levar a Birmingham, onde decorrerá a primeira cimeira mundial sobre veículos sem emissões de dióxido de carbono, uma espécie de roteiro com o qual demonstrará como pretende atingir os objetivos de reduzir a pegada carbónica na mobilidade.O país irá assegurar que em 2040 todos os veículos novos vendidos em Portugal serão responsáveis por zero emissões de carbono.Pese o facto de ser uma “promessa” que está no bom caminho, o país poderia ter sido mais ambicioso, conforme explicou o secretário de Estado Adjunto e do Ambiente, José Mendes.Portugal poderia inscrever no compromisso que vai apresentar que só seriam permitidas as vendas de veículos de emissão zero, mas acabou por ser como outros países e manifestar alguma prudência.Temos que pensar que ainda não está resolvido o problema da autonomia para viagens de muito longo curso, pelo que fomos prudentes e inscrevemos também os veículos de baixas emissões. Mas até 2040 os avanços tecnológicos vão resolver esse problema, não tenho grandes dúvidas.Referiu o governante.Um compromisso assumido irá levar a que o Estado invista em viaturas novas, até 2030, para que toda a frota da administração pública em Portugal será constituída por veículos de emissão zero, ou de baixas emissões.O processo de retirar das estradas os veículos poluentes não começou agora, já decorre desde há alguns anos o Eco.Mob, o programa de Mobilidade Sustentável (que vai já na sua segunda fase), com o qual tem tentado que seja o próprio Estado a dar o exemplo nas mudanças que são necessárias de fazer. Parque elétrico do Estado portuguêsPortugal tinha um parque de veículos elétricos, no final de 2014, de 26.903 unidades, o que o eleva o Estado a estar entre as maiores frotas do país.Uma das linhas de financiamento do programa Eco.Mob passava pelo investimento em 1200 veículos elétricos para a administração pública, envolvendo uma estimativa de custos de 23,34 milhões de euros.A questão prende-se com uma data que será somente daqui a mais de duas décadas, quando o mundo, principalmente a Europa, têm metas mais curtas e caminhos já mais avançados. Será que conseguimos?source: pplware.sapo.pt

A partir de 1 de setembro acabaram-se as lâmpadas “baratas”

29 de Agosto de 2018 às 09:17
Tecnologia


É já a partir do próximo dia 1 de setembro de 2018 (sábado) que se assinala uma mudança significativa no que diz respeito à iluminação. A partir desse dia passa a ser proibida a comercialização, em toda a União Europeia (UE), de lâmpadas incandescentes de halogéneo.A proibição da União Europeia faz parte do compromisso da UE de reduzir as emissões de CO2 e a sua pegada de carbono.
Qual é o motivo para a proibição das lâmpadas de halogéneo?Continuando o processo de descontinuação dos focos de halogéneo, implementado em 2016, a fase que se segue é a proibição das lâmpadas de halogéneo não direcionais, incluindo as lâmpadas convencionais em forma de pera ou vela. Além disso, as lâmpadas de halogéneo utilizam 10 vezes mais quantidade de energia do que as lâmpadas LED. As lâmpadas de luz LED têm uma vida útil média de 15 anos, o que as torna simultaneamente boas para o planeta e para os bolsos dos consumidores. Os desenvolvimentos técnicos permitem atualmente uma vasta gama de opções no que toca à iluminação LED, oferecendo uma grande variedade de designs e temperaturas de cor para personalizar qualquer casa.Lâmpadas LEDLâmpadas de halogéneo em PortugalDe acordo com dados do Instituto Nacional de Estatística – INE, as lâmpadas de halogéneo são utilizadas em 22,4% dos lares portugueses e em termos médios correspondem a uma utilização de 7,6 lâmpadas por alojamento. As lâmpadas LED utilizam até 80% menos energia do que as lâmpadas de halogéneo e duram 15 vezes mais.Num estudo da Associação de Defesa do Consumidor (DECO), realizado em 2016, ficou provado que usar 11 lâmpadas LED num T1 permite poupar 207 euros, em 20 anos. Em Portugal, a eliminação progressiva do halogéneo evitará mais de 15 milhões de toneladas de emissões de carbono por ano, o equivalente ao consumo anual de eletricidade no nosso país.source:pplware.sapo.pt

Apple: O que esperar do evento de lançamento de novos iPhones em setembro?

29 de Agosto de 2018 às 09:17
Apple


Estamos quase em setembro e, todos os anos, a história volta a repetir-se: a Apple lança novos iPhones. É nesta altura do ano que os olhares do mundo inteiro se focam em Cupertino à espera de novidades. E este ano não será diferente.Venha descobrir o que a Apple deverá estar a preparar para o seu grande evento anual de lançamento de hardware.
Quando será o evento?Ainda ninguém sabe ao certo quando é que a Apple vai realizar este grande evento mas, quando os rumores não se vão embora é porque devem ser verdade.Apesar da data ser ainda desconhecida, tendo em conta as datas escolhidas pela marca da maçã nos últimos anos, podemos fazer algumas previsões. Há pelo menos seis anos para cá que a Apple realiza os seus eventos na segunda semana de setembro, entre os dias 7 e 12.Evento de lançamento do iPhone 5: 12 de setembro de 2012Evento de lançamento do iPhone 5s: 10 de setembro de 2013Evento de lançamento do iPhone 6: 9 de setembro de 2014Evento de lançamento do iPhone 6s: 9 de setembro de 2015Evento de lançamento do iPhone 7: 7 de setembro de 2016Evento de lançamento do iPhone 8/X: 12 de setembro de 2017Analisando com atenção o padrão dos últimos eventos, e partindo do princípio que as datas dos últimos eventos servem de alguma indicação para eventos futuros, o mais provável é a Apple realizar o seu evento de apresentação de novos iPhones no dia 12 de setembro, uma quarta-feira.Para além disso, tendo em conta certos rumores que já chegaram até nós relativamente à data de pré-venda dos iPhones de 2018, e da qual vamos falar nos próximos parágrafos, o dia 12 de setembro parece ser a dada que aparecerá nos convites que a empresa de Cupertino ainda tem que enviar.Onde será o evento?O último evento de hardware da Apple foi uma estreia por várias razões. Foi o primeiro evento da Apple a ser realizado na nova casa, o Apple Park, pela primeira vez vimos o design que deverá acompanhar o iPhone nos próximos anos e foi também o primeiro evento a estrear o Steve Jobs Theater.Este auditório tem o nome do co-fundador da Apple, Steve Jobs, devido ao enorme contributo dado à empresa. Para além disso, Steve Jobs adorava o dia de lançamento de novos produtos.Nos últimos anos, a Apple lançou novos iPhones em vários auditórios e ainda este ano, em março, foi em Chicago que realizou o seu evento virado para a Educação. Mas, devemos assumir que este ano iremos voltar ao auditório com o nome de Steve Jobs para a revelação de mais um iPhone.iPhone: O que vem a seguir?Ao longo dos últimos anos tornou-se hábito o surgimento de rumores e descobertas bastante reveladoras acerca de novos iPhones ainda por apresentar. Assim, temos vindo a segui-los atentamente e a informá-lo sempre que surge algo de novo.O iPhone X, lançado no ano passado, foi o smartphone mais vendido nos primeiros meses de 2018 e, este ano, a Apple deverá apresentar três novos iPhones, com diferentes tamanhos de ecrã, diferentes tecnologias e, acima de tudo, diferentes preços de entrada.Ao que tudo indica, dois do modelos terão um ecrã OLED e o terceiro modelo deverá incluir um ecrã LCD, mas com melhorias ao nível da cor. Este último será o iPhone mais barato.Segundo os rumores, o iPhone com ecrã LCD deverá ter um processador A10 Fusion, o mesmo processador que se encontra no iPhone 7. Para além disso, a Apple deverá excluir funcionalidades como o Touch 3D para ser capaz de colocar o Face ID e manter o preço deste smartphone perto dos 700 dólares.
Por outro lado, no que toca aos iPhones com ecrã OLED, existe informação que confirma o suporte do Apple Pencil. Nas últimas semanas, este rumor tem gerado alguma controvérsia pois, a Apple sempre se mostrou contra a utilização de estilete.A verdade é que o Apple Pencil não é uma estilete nem é fundamental para operar o iPhone. Isto é algo que muita gente não entende. O Apple Pencil é um acessório, que só compra quem quer, e que ajuda a despertar o lado criativo do utilizador.Outras características que merecem ser mencionadas são o armazenamento de 512GB que deverá estar disponível nos modelos OLED e o novo processador A12 Bionic ainda mais rápido.Em termos de preços, a Apple costuma aumentá-los ligeiramente. Assim, podemos antever que em Portugal o novo modelo Plus com ecrã OLED deverá rondar o 1360 euros. Por outro lado, o modelo mais pequeno, também com ecrã OLED, poderá baixar para os 1000 euros. Segundo rumores, lançados por uma rede alemã, os novos iPhones ficarão disponíveis para pré-venda a 14 de setembro, dois dias depois da apresentação oficial.iPhone 2018: a chegada do Apple Pencil, 512GB de armazenamento e preços
Apple Watch com novo design…O Apple Watch continua a ser o melhor smartwatch disponível no mercado e o dispositivo ideal para acompanhar o iPhone. Os dois formam uma equipa perfeita e, no próximo mês, esperamos ver um novo modelo com melhorias face à geração anterior.As grande novidades deverão verificar-se ao nível do design. O novo Apple Watch Series 4 deverá possuir um ecrã até 15% maior face ao modelo Series 3, resultado da diminuição das bordas do dispositivo. Isto resulta numa experiência de utilização mais imersiva.Por outro lado, devemos também ver o aparecimento de um novo conjunto de botões fruto de um novo sistema de de feedback mecânico. Com esta alteração o Apple Watch deverá ter melhor resistência à água e ganhar mais espaço interno que permitirá adicionar outros componentes.São também esperados novos sensores de saúde e exercício físico. Por outro lado, um novo processador e o WatchOs 5 deverão garantir melhor performance ao novo Apple Watch Series 4. No que toca ao preço, esperamos que tudo se mantenha igual, isto é, em Portugal o preço de entrada deverá ser 379€ para o modelo de 38mm.Conheça todos os rumores acerca do novo Apple Watch Series 4
iPad Pro com Face ID…Em março deste ano, a Apple trouxe para o mercado um novo iPad de 9.7 polegadas mais barato e que suporta o Apple Pencil. Mas, segundo as informações que têm circulado ao longo dos últimos meses, a Apple deverá atualizar também a linha Pro já no próximo mês.Espera-se que o iPad Pro sofra bastantes alterações ao nível do design. O Home Button deverá desaparecer, o que significa que o Touch ID será descartado. Assim, a marca da maçã deverá começar a utilizar o Face ID como novo sistema de autenticação no iPad Pro. No entanto, o novo modelo não deverá ter o recorte semelhante ao do iPhone, onde se encontram a câmara frontal e o sensor True Depth.Existem outros rumores que confirmam o desaparecimento da entrada para auscultadores no próximo modelo do iPad Pro. Iremos finalmente ver um iPad à prova de água? Para além disso, espera-se que que o novo iPad Pro traga um novo processador, provavelmente chamado A12X Bionic, e mais RAM.Alguma atualização ao nível do Apple Pencil ou Smart Keyboard também seriam muito bem-vindas, mas parecem menos prováveis.Apple: Próximo iPad Pro terá bordas muito finas, mas sem notch
Atualizar os Macs…Em julho deste ano, a Apple atualizou os seus computadores MacBook Pro com os processadores Intel Coffee-Lake. No entanto, nem o iMac, Mac mini, MacBook ou MacBook Air receberam os novos processadores. Será que a Apple vai atualizar estes modelos no próximo mês?Rumores sugerem que a Apple irá, finalmente, atualizar o modelo MacBook Air e Mac mini. A linha Mac da Apple não está propriamente a dar muito lucro à empresa e isso deve-se em parte ao preço dos computadores e ao facto de alguns modelos não serem atualizados há algum tempo.Um MacBook Air com melhores especificações e, no geral, hardware mais atual, pode mudar rapidamente a linha Mac da Apple. Certamente, muitos utilizadores iriam agradecer.Não existem novidades na Apple TV?A quarta geração da Apple TV e a Apple TV 4K foram ambas reveladas em eventos realizados no mês de setembro. A primeira foi revelada em 2015 e a segunda em 2017.Normalmente, a Apple não revela novo hardware da linha TV todos os anos. Assim, espera-se que as atualizações na Apple TV surjam apenas no próximo ano.AirPower… finalmente!?Vai fazer agora em setembro exatamente um ano desde que a Apple apresentou o AirPower, um tapete de carregamento wireless e a solução ideal para carregar simultaneamente vários dispositivos que suportem carregamento sem fios.Segundo se sabe, a Apple encontrou algumas dificuldades com as quais não estava a contar e por isso adiou a chegada deste dispositivo ao mercado. Mas espera-se que fique disponível agora em setembro e que o anúncio seja feito no evento da empresa de Cupertino daqui a algumas semanas.Novo software?Em setembro deste ano, na WWDC 2018, a Apple apresentou novas versões dos sistemas operativos para todos os seus dispositivos. Neste momento, todos os sistemas operativos ainda se encontram em fase beta.Apesar de, neste momento, já terem atingido uma fase de maturação elevada, ainda não foram lançados para todos os utilizadores. Espera-se que a Apple disponibilize a versão Golden Master (final), momentos após a apresentação dos novos iPhones para utilizadores que tenham aderido ao programa Beta da Apple.

Os Google Glass estão de volta mas agora com inteligência artificial

1 de Agosto de 2018 às 09:23
Google


O projeto Google Glass começou a ser pensado em 2006 de forma secreta pela Google e surgiu no mercado em 2013. Estes óculos futuristas permitiam, na sua lente, executar e visualizar uma série de comandos. Era um projeto avançado demais para o seu tempo e acabou por ser descontinuado pela Google.Pese o facto do projeto Google Glass ter “desaparecido” não quer isso dizer que morreu. Na semana passada, a empresa de software israelita Plataine demonstrou uma nova aplicação para este dispositivo. Afinal, o Google Glass vive e está a ficar mais inteligente.
A Plataine é uma empresa que tem como função desenvolver software industrial inteligente, baseado na IoT. Esta nova ferramenta que desenvolveram, software da empresa e os Google Glass, têm como destino trabalhadores fabris que podem falar com os óculos e receber deles respostas verbais.A aplicação da empresa de Israel aponta para um futuro onde o Glass é aprimorado com inteligência artificial, tornando-o mais funcional e fácil de usar. Com clientes como GE, Boeing e Airbus, a Plataine também está a trabalhar para adicionar recursos de reconhecimento de imagem ao seu software.A empresa exibiu a sua tecnologia Glass numa conferência em San Francisco dedicada ao negócio da computação na cloud Google; a aplicação da empresa foi construída recorrendo a serviços de IA fornecidos pela divisão cloud da Google e com o apoio da gigante das pesquisas.A Google está a apostar em comercializar a terceiros a sua inteligência artificial. É uma nova vertente para a tecnologia quando, inicialmente, esta havia sido pensada e desenvolvida para o seu próprio negócio, para afastar os seus clientes da concorrência de empresas como Amazon e Microsoft.Jennifer Bennett, diretora técnica do departamento Google Cloud, disse que a adição dos serviços cloud da Google ao Glass poderia ajudar a tornar este dispositivo numa ferramenta revolucionária para os funcionários em situações em que um computador portátil ou um smartphone não fizessem sentido serem utilizados.Muitos de vocês provavelmente lembram-se dos Google Glass dos dias de consumo – estão de voltaaaa. Os Glass tornaram-se numa tecnologia realmente interessante para a empresa.Referiu a responsável da Google que arrancou sorrisos ao apresentar o projeto da Plataine. Google Glass Enterprise EditionEsta sessão aconteceu cerca de um ano depois da Google ter abandonado a sua tentativa de vender o projeto ao consumidor. O Glass é um dispositivo que, dadas as suas características, o seu ecrã e câmara sempre apontado para onde o utilizador está a olhar, levantou imensas dúvidas e gerou controversas opiniões sobre a privacidade.Em vez de “matar” o projeto, a Google vocacionou este seu gadget como ferramenta para empresas e com o nome Google Glass Enterprise Edition. Projetos pilotos envolveram trabalhadores da Boeing que usavam o Google Glass em linhas de produção de helicópteros, e médicos usando o equipamento na sala de exames.Na prática este dispositivo irá permitir que um trabalhador utilize o hardware e o software da Plataine para obter ajuda. Foi demonstrado no evento que um trabalhador entrava num armazém e poderia dizer “Ajude-me a selecionar materiais”. O software responderia, verbalmente e no visor, com quais materiais necessários e onde eles poderiam ser encontrados.As ações de um trabalhador podem ser imediatamente visíveis aos chefes de fábrica, sincronizados com o software que a Plataine já fornece aos clientes, como faz com a Airbus, que pode em tempo real acompanhar as operações de produção.A responsável da Google deixou indicações que a empresa gigante das pesquisas está a trabalhar em projetos e produtos onde o Google Glass é parte integrante assim como o Google Cloud.

11 milhões de smartphones e browsers infetados. Remova já estas apps

27 de Julho de 2018 às 08:52
Tecnologia

Quando o tema é segurança, todos os cuidados aplicados acabam por ser sempre poucos e é requerido alguma atenção adicional. A mais recente campanha que está a decorrer, e que foi descoberta mostra que são milhões os afetados.Esta não se limita nem aos smartphones e nem aos browsers e consegue afetar estas 2 plataformas, recolhendo dados dos utilizadores sem que estes tenham conhecimento. As apps estão identificadas e devem ser de imediato removidas.
Descoberta pela AdGuard Research, esta nova campanha de malware está a afetar todo um leque variado de equipamento e plataformas. A sua base vem de várias apps e extensões para os browsers, com o objetivo de recolher o histórico das navegações na Internet dos utilizadores.O mais normal na forma como age é mesmo a forma como se espalhou não apenas a dispositivos como a plataformas. Esta campanha foi detetada não apenas no Android, mas também no próprio iOS, onde está presente num número de elevado de aplicações, e até no Chrome e no Firefox, onde entrou como extensões comprometidas alojadas nas lojas destes browsers.Estima-se que sejam já 11 milhões de dispositivos infetados e que estejam a servir para recolher os dados dos utilizadores, em especial os sites da Internet que são visitados durante a utilização.No caso do Android as apps que foram detetadas como estando afetadas são da empresa americana Big Star Labs e estão disponíveis na Play Store. No do iOS estas apps foram instaladas de fora da App Store.A quase totalidade destas apps promete bloquear publicidade e evitar pop-ups, pedindo aos utilizadores acesso ao seu histórico, que o trataria de forma anónima. Na verdade estes dados são recolhidos e enviados de forma clara, sendo depois partilhados com empresas dedicadas ao marketing.Lista das Apps e ExtensõesBlock Site (app e extensão)AdblockPrimeApps do Android como:  Speed BOOSTER, Battery Saver, AppLock, Clean DroidPoper BlockerCrxMouseNaturalmente que todas estas apps e extensões, se estiverem instaladas e a uso, devem ser removidas de imediato, para trazer de volta a segurança dos utilizadores e para impedir que os seus dados sejam recolhidos sem a sua autorização.source: pplware.sapo.pt

Android P: Google lançou a última versão de testes do seu próximo sistema operativo

26 de Julho de 2018 às 09:45
Android

Desde que na última I/O a Google apresentou a próxima versão do Android que esta está a ser testada pelos utilizadores, para que sejam detetados e corrigidos os problemas existentes.Depois de várias versões de testes, chegou agora aquela que se sabe ser a última, abrindo caminho para dentro em breve surgir a versão final do Android P e que será disponibilizada para as várias marcas que usam este sistema operativo.
Ao contrário do que aconteceu nas anteriores, esta versão do Android P da Google não mostrou as melhorias que trouxe e nem os problemas que ela corrige das versões anteriores. Mesmo assim, sabe-se que existem melhorias substanciais e que se podem comprovar.A versão Beta 4, ou developer preview 5, vem trazer melhorias na estabilidade do Android P, espera-se, ultimar todas as novidades apresentadas na I/O deste ano, quer sejam visíveis, e de utilidade para o utilizador ou simplesmente internas ao Android.Devemos por isso ter o novo sistema de controlo por gestos terminado e pronto a ser usado em toda as suas potencialidades, para facilitar a utilização do Android P face ao que tínhamos antes.Há também toda a parte referente à gestão do do próprio Android, onde vai estar disponível uma melhor gestão dos processos em multitarefa e também na própria gestão de energia e dos restantes recursos.Tal como em todas as versões de teste anteriores, a Beta 4 do Android P está apenas disponível para um conjunto limitado de equipamentos, mas desta vez não se limitando aos Pixel.Não se sabe ao certo quando será lançado o novo Android P, mas espera-se que surja muito em breve, provavelmente acompanhado do, já várias vezes falado, Pixel 3, como é normal na Google. Se estão já a testar o Android P, devem procurar esta atualização, que está já a ser disponibilizada via OTA.source:pplware.sapo.pt

Começam a surgir as primeiras informações do Huawei Mate 20 Pro

16 de Julho de 2018 às 09:24
Huawei


Com o lançamento do Huawei P20 Pro, a marca chinesa deu um passo de gigante na qualidade geral dos seus topos de gama.Com o verão a passar a passos largos, começa a aproximar-se a data de lançamento do novo Mate 20 Pro, estando já a chegar as primeiras informações.
A Huawei é uma das marcas que tem registado um maior crescimento no mercado dos smartphones, tanto em vendas como em qualidade.Com a apresentação do P20 Pro, notou-se uma grande aposta da marca chinesa no seu desenvolvimento, especialmente no departamento fotográfico.Com a chegada do Outono, começa também a aproximar-se a altura do lançamento do novo Huawei Mate 20 Pro e do novo processador Kirin 980.Huawei Mate 20 Pro – Um ecrã maior e um número aumentado de câmarasComo tem sido hábito, antes dos grandes lançamentos surgem sempre um número alargado de rumores. Com a chegada o Mate 20 Pro não existe excepção, estando a aparecer agora os primeiros dados.Segundo os rumores, este novo smartphone trará um ecrã OLED de 6,9″curvo, como o Mate 10 RS Porsche Edition, que deixará de ser fabricado pela LG, sendo substituída pela empresa chinesa BOE. Debaixo do ecrã podemos encontrar ainda o sensor de impressões digitais, uma tecnologia que já tinha sido patenteada pela Huawei.Os rumores apontam ainda que sejam incluídas cinco câmaras no total, três na parte traseira e duas na parte frontal e que o processador Kirin 980 seja incorporado. Este será o chip que a Huawei irá utilizar nos seus próximos dispositivos e promete um alto desempenho.Até ao lançamento ainda muito se irá descobrir, tanto do Mate 20 Pro como do Mate 20 Normal, sendo provável que a Huawei volte a apostar fortemente para tentar conquistar o primeiro lugar do mercado dos smartphones.source: pplware.sapo.pt

Top 10 dos Supercomputadores do mundo

29 de Junho de 2018 às 09:12
Tecnologia


O primeiro lugar dos supercomputadores mais rápidos do mundo pertenceu durante algum tempo ao Sunway TaihuLight da China, lugar que foi recentemente roubado por um supercomputador norte-americano, o Summit, com um poder computacional de mais de 122 mil teraflops.Atualmente, estas são as 10 máquinas mais poderosas do mundo.
A China têm-se vindo a destacar no universo dos supercomputadores, sendo detentora de algumas das máquinas mais poderosas do mundo, nomeadamente o Sunway TaihuLight, considerado o supercomputador mais potente do mundo durante os últimos 2 anos.Hoje são os Estados Unidos que albergam o supercomputador mais poderoso que resulta de uma parceria entre a IBM e o ORNL, o Laboratório Nacional de Oak Ridge, do Departamento de Energia Norte-Americano.Esta máquina é composta por 4608 servidores, cada um com 2 processadores IBM Power9, cada um com 22 núcleos e 6 GPUs Nvidia Tesla V100 GPUs. No total o sistema tem 10 petabytes de memória. Para o seu funcionamento, o Summit utiliza 15 mil litros de água por hora, para arrefecimento. Todo este sistema ocupa um espaço equivalente a 2 campos de ténis. O Top 10O gráfico seguinte, desenvolvido pela Statista, baseia-se na lista do TOP500 e classifica os 10 principais supercomputadores com base no seu desempenho computacional.São os Estados Unidos que se destacam com mais máquinas a integrar esta lista dos supercomputadores mais poderosos e a China que se encontra em segundo e quarto lugares com duas das mais poderosas máquinas.source: pplware.sapo.pt