219 347 706 Email Facebook
Windows

Microsoft prepara-se para dar uma nova cara ao Windows 10 na próxima grande atualização

16 de Novembro de 2018 às 09:16

WannaCry: Ataque de ransomware evoluiu e está mais perigoso

15 de Maio de 2017 às 09:34
WannaCry Ransomware

A passada sexta-feira ficou marcada por um ataque massivo, que deixou inoperacionais várias empresas e estruturas críticas na Europa. Em Portugal esta situação repetiu-se e o cenário de crise esteve instalado durante algumas horas.Se o WannaCry, nome do ransomware que infetou as máquinas, foi controlado, a verdade é que este parece não estar a abrandar e já se conhecem evoluções, que são agora mais fortes e difíceis de parar. O problema, que parecia controlado, vai evoluir, crescer e ganhar força.
Já existem versões novas do WannaCryDepois de toda a confusão em torno do ataque de sexta-feira passada, o WannaCry acabou por ser controlado com a simples compra de um domínio da Internet. Esta medida provou ser eficaz, uma vez que impedia que os atacantes pudessem servir o ransomware às máquinas vulneráveis.Como se esperava, este ransomware mudou e já vários casos foram detetados em que este é imune às medidas tomadas, deixando de depender de domínios, passando a aceder diretamente aos sites, e também deixando de ter formas de ser desativado. SeguirMatthieu Suiche ✔@msuicheA patched (non recompiled) variant with *NO* kill-switch is out there too. Patched jump and zeroed the URL. See screenshots below. #WannaCry15: 19 - 14 May 2017  464464 Retweets  306306 favoritosO problema do regresso ao trabalhoDepois de ter infetado mais de 200 mil computadores em mais de 150 países, de ter afetado empresas, como a Renault e a Nissan que chegaram a parar a produção de várias fábricas, e de ter lançado o pânico geral, o WannaCry poderá estar de volta já hoje.Para além destas novas versões, outro problema irá acontecer. O regresso dos funcionários às empresas levará a que o WannaCry volte a crescer, uma vez que muitos poderão cair na tentação de abrir as mensagens infetadas e que o propagaram.Em muitos casos as medidas defensivas foram já tomadas, mas ainda assim vai haver, provavelmente, uma grande incidência de casos de novas infeções.Algumas recomendaçõesPara garantir a máxima proteção em cenários deste tipo, aconselha que:Tenha o Anti-vírus atualizadoNão abra e-mails de origem desconhecida, que possuam anexos suspeitosAtenção ao uso de software não legitimoTenha sempre uma cópia de segurança dos seus dadosEspera-se que este caso, que segundo se sabe foi criado com a utilização de ferramentas desenvolvidas pela NSA, lance uma nova discussão e que se tomem medidas para que estas falhas exploradas deixem de ser segredos quando os governos as descobrirem.Irá também levar a que as empresas apliquem as atualizações dos SOs de forma mais célere, deixando assim de ter as máquinas expostas e com sistemas ultrapassados e com falhas de segurança.source: pplware.sapo.pt

Com um novo recorde, a Apple já vale 800 mil milhões de dólares

9 de Maio de 2017 às 09:46
Apple

A Apple é uma das mais valiosas empresas que está no mercado das tecnologias. Para além dos bons resultados que tem conseguido, a sua cotação em bolsa não pára de crescer, batendo recordes de forma recorrente.Ontem houve mais um que foi batido, com a Apple a valer, por alguns momentos, 800 mil milhões de dólares.
Depois de ter batido vários recordes em bolsa, nos últimos meses, onde chegou a conseguir valer 714 mil milhões de dólares, a Apple conseguiu ontem durante o dia voltar a estar no topo das valorizações, conseguindo, por algum tempo, ter as suas ações a valer 153,7 dólares.Ao atingir esta cotação em bolsa, e tendo a empresa 5,21 mil milhões de ações, o seu valor voltou a subir, ficando assim avaliada em mais de 800 mil milhões de dólares.Este novo recorde reforça a posição da Apple como uma das mais valiosas empresas em bolsa e, seguramente, a mais valiosa no ramo das tecnologias, batendo a Microsoft ou a Google.Uma das principais razões para esta valorização está na expectativa que os investidores têm no próximo iPhone, que celebrará o décimo aniversário deste marco da industria.Para além desta valorização, a Apple tem nos seus cofres mais de 250 mil milhões de dólares. A grande maioria desse valor está fora dos Estados Unidos, porque a empresa não pretende pagar a taxa de 35% que lhe seria imposta.Este novo recorde mostra bem a saúde da empresa e a confiança que os investidores colocam nela. Provavelmente, e muito em breve, esta barreira voltará a ser quebrada e a Apple será a próxima empresa a valer mais de 1 bilião de dólares.source: pplware.sapo.pt

Microdisplay OLED será a próxima revolução nos smartphones

8 de Maio de 2017 às 09:39
OLED


Desde o aparecimento do iPhone, há cerca de 10 anos, que mudou radicalmente a forma como interagimos com o telemóvel. O multi-toque permitiu uma maior usabilidade e a utilização do Touch ID popularizou a forma mais segura de acesso controlado ao smartphone.O ideal seria os ecrãs poderem trazer “embebida” esta tecnologia de leitura de impressão digital. Mas parece haver limitações tecnológicas. Contudo, algo pode mudar muito em breve. Vamos conhecer então do que se trata a tecnologia Microdisplay OLED.
Microdisplay OLEDO Instituto Fraunhofer, líder na investigação e desenvolvimento em OLED sobre silício irá apresentar o seu novo sensor de impressão digital no próximo dia 23 de maio na exposição “SID Display Week”.Esta tecnologia poderia ser a “solução” para o que alguma marcas poderiam apresentar como “revolução”. Aliás, um dos maiores rumores nesta área era a utilização do leitor de impressão digital no ecrã Super AMOLED frontal do novo Samsung Galaxy S8. Além deste, também se falou que o Xiaomi Mi6 poderia trazer o leitor biométrico inserido por baixo do ecrã.Nenhuma das marcas o colocou no mercado! Provavelmente ainda será uma tecnologia pouco experimentada, mas a invenção mais recente do Instituto Fraunhofer pode significar que estamos um passo mais perto da tecnologia de digitalização óptica sob luz ultra-violeta altamente avançada e segura. Mas qual será a vantagem desta tecnologia?Esta tecnologia única permite a integração de alta precisão de um OLED como fonte de luz num microchip. Além disso, este microchip pode ser concebido com outras tecnologias, como os fotodíodos. Com isso, os objetos podem ser iluminados e, ao mesmo tempo, a luz refletida, é detetada e analisada.Estes microdisplays podem também ser integrados em óculos de dados interativos como um “microdisplay bidirecional”: o ecrã minúsculo projeta as informações para aplicações de realidade aumentada, enquanto a função da câmara detecta a direção da visualização – assim o conteúdo pode ser controlado por movimentos oculares.Então, no caso prático dos smartphones, sensor de impressões digitais poderá utilizar esta funcionalidade bidirecional de emissão de luz e de deteção: o dedo fica iluminado e a luz refletida será detetada e analisada."Nós usamos um encapsulamento extra-fino para o chip deste sensor de impressão digital. Deste modo, a distância entre o dedo e o sensor de imagem foi minimizada e a impressão digital pode ser capturada de forma excelente. Assim, uma imagem a ótica adicional não é necessária para esta aplicação."Referiu Bernd Richter, investigador do Instituto Fraunhofer Apple tem já uma patente nesta áreaA Apple não parou de evoluir a sua tecnologia multi-toque e de impressão digital. A empresa de Cupertino tem uma tecnologia semelhante desenvolvida por uma empresa que foi comprada pela Apple, a LuxVue.A diferença aqui é que a Fraunhofer usa micro-displays OLED para criar scanners de impressões digitais de alta precisão. Esta tecnologia já existe desde 2012, mas apenas esta nova geração permite uma resolução nativa de 1.600 dpi.Sensores ópticos de impressão digital de alta precisãoEsta tecnologia é algo impressionante. Mesmo apesar da espessura, a alta resolução permite identificar até os menores poros no topo das linhas papilares regulares. Isto significa que este protótipo ótico de scanner de impressões digitais OLED são extremamente seguros.Embora seja improvável que possamos ver esses microdisplays OLED disponíveis comercialmente em breve, o protótipo do Instituto Fraunhofer pode abrir um novo mundo para como será o futuro smartphone.Será que é esta tecnologia que a Apple poderá usar já no próximo iPhone 8?source: pplware.sapo.pt

Whatsapp está offline! Milhões de utilizadores afetados

4 de Maio de 2017 às 10:07
Whatsapp


O WhatsApp é inquestionavelmente um dos melhores serviços para os utilizadores trocarem mensagens. Segundo dados da própria empresa, mensalmente existem mais mil milhões de utilizadores activos, são enviadas mais de 42 mil milhões de mensagens por dia e partilhadas mais de 1.6 mil milhões de fotos (também por dia).Se o seu Whatsapp deixou de funcionar, fique a saber que a culpa não está do seu lado. O problema é à escala mundial e está a afetar milhões de utilizadores.
Esta quarta-feira o serviço de mensagens Whatsapp começou a ter algumas falhas, ficando mesmo offline para milhões de utilizadores. De acordo com os nossos testes, o serviço não está acessível via 3G/4G nem Wi-Fi. Testamos também a versão mobile e a versão Web sem sucesso.As informações que existem é que esta falha não está a afetar todos os utilizadores. O site Down Detector, que agrega queixas dos utilizadores relativamente a serviços, revela que neste momento há algumas zonas do globo mais afetadas que outras.Segundo relatos, por exemplo do Brasil, os utilizadores estão “em choque” pois esta é uma das principais ferramentas para troca de mensagens. Até ao momento ainda não há qualquer informação oficial sobre o que se estará a passar com este serviço.source: pplware.sapo.pt

Saiba o que esperar do evento de hoje da Microsoft

2 de Maio de 2017 às 09:48
Microsoft


Durante o dia de hoje a Microsoft vai realizar mais um dos seus eventos de apresentação de novos produtos. Entre rumores e certezas, esperam-se para hoje grandes novidades.Do que tem vindo a ser falado, o que vai mesmo a Microsoft apresentar? É isso que vamos responder, com base o que é já conhecido.
Hoje vai ser um dia importante para a Microsoft. A empresa tem várias novidades para dar a conhecer, algumas delas vão marcar novas áreas de negócio para a empresa, que se deverá focar mais no ensino, procurando assim destronar a Google e os seus Chromebooks.Mas há muito mais para ser conhecido e, com base no que tem vindo a público, este será um evento de muitas coisas novas, todas elas muito interessantes. O novo Windows 10 CloudEsta é uma das mais importantes novidades já conhecida há algum tempo. O Windows 10 Cloud, ou Windows 10 S, terá sido criado como uma versão mais leve do sistema operativo da Microsoft.A ideia do Windows 10 Cloud é combater diretamente o ChromeOS e os Chromebooks, abrindo assim a porta para a vertente de ensino, onde a Google domina de forma avassaladora.Este será um SO com particularidades que já vimos antes, mas que a Microsoft agora melhorou. A dependência da loja de aplicações será total e apenas daí será possível obter aplicações.A Microsoft deverá apresentar também já várias ofertas de parceiros, prontas a correr o Windows 10 Cloud. A nova oferta de hardware da MicrosoftÉ também no campo do hardware que vão surgir novidades. Tomando por base o Windows 10 Cloud deverão surgir várias propostas. Ainda sem grande certeza, poderá surgir o herdeiro do modelo base do Surface, que há algum tempo não recebe qualquer atualização.Este seria o “modelo base” para o novo ataque da Microsoft, definindo o padrão e quais os requisitos a serem usados nestes novos equipamentos. Do que se sabe, a Microsoft não elevou a fasquia e tornou opcionais alguns elementos, como a caneta e até o ecrã sensível ao toque.Claro que várias outras propostas vão surgir dos muitos parceiros da Microsoft. Este ataque ao ensino deverá ser forte e, para isso, a criadora do Windows 10 tem de ter ofertas prontas. O Office 2016 vai mudarPor fim, e esta é uma necessidade que o Windows 10 Cloud vem criar, o Office 2016 deverá passar para a loja de aplicações do Windows. Para isso, teve de ser convertido numa aplicação Universal, provavelmente recorrendo ao projeto Centennial.Existem várias provas de que esta migração vai acontecer, para além da óbvia necessidade. O Office estava presente no menu iniciar das primeiras versões do Windows 10 Cloud, levando para uma página em branco da loja de aplicações do Windows.A sua chegada a esta loja vem também trazer duas melhorias. A primeira é a separação da suite de produtividade da Microsoft em diferentes aplicações e a segunda é o fim do processo de instalação, que nem sempre era simples. O que não deve surgir neste eventoPara o fim, e não menos importante, fica o que não deve surgir neste evento. Os falados Surface Pro 5 e Surface Book 2 devem ficar de fora por agora. A Microsoft deverá preparar um evento dedicado a estas novidades.O eternamente esperado e muito aguardado Surface Phone deverá novamente ficar de fora das opções da Microsoft. Ainda sem certeza de lançamento, será algo que naturalmente deverá ser apresentado na segunda metade do ano, isto claro, se realmente existir.source: pplware.sapo.pt

Carro autónomo da Apple já circula nas estradas da Califórnia

28 de Abril de 2017 às 09:50
Apple


Falar do carro autónomo da Apple era, até hoje, falar de uma ideia que muitos conheciam e que poucos tinham a certeza de ser real. Sempre envolto em mistério e em dúvidas, este era um projeto que era apenas uma ideia.Agora tudo mudou e a Apple tem finalmente o seu primeiro carro de testes a circular nas estradas da Califórnia, mas a desilusão pode ser grande. O carro usado é um Lexus RX450h, igual a tantos outros que por lá já circulam.
O carro autónomo da Apple já circulaEste primeiro carro autónomo de testes da Apple é o início do programa de testes que a empresa vai iniciar, depois de ter recebido, em meados deste mês, a autorização da DMV para circular nas estradas da Califórnia.Esperaria-se algo mais moderno e mais apelativo, mas aparentemente a Apple quer começar do início e evoluir lentamente até ter a sua tecnologia bem amadurecida e, quem sabe, pronta a aplicar num carro seu.Os sensores do carro autónomo da AppleDo que é possível ver, nestas primeiras imagens obtidas pela Bloomberg, este carro está equipado com um conjunto alargado de sensores, todos eles normais e possíveis de comprar por qualquer fabricante.Destaca-se um lidar de 64 canais, topo de gama, da Velodyne Lidar Inc., pelo menos dois radares e vários sensores, que vão mapear as estradas e dar informação essencial aos computadores que estão dentro do Lexus.Há algo de diferente neste carro autónomo?Os sensores e outros equipamentos presentes aparentam ser produtos comprados numa qualquer loja de um dos fornecedores destes equipamentos e não peças criadas de forma específica para o carro da Apple.Esperar-se-ia um pouco mais, mas dado que é apenas o primeiro carro de testes, pode ter sido tomada a decisão de criar um sistema padrão, construído com o que o mercado oferece e dai para a frente fazê-lo crescer.O que esperar deste carro autónomo da AppleDepois de se ter falado que a Apple iria criar um carro seu, primeiro elétrico e depois autónomo, a ideia que mais força tem ganho é a de que a empresa está a criar software que depois poderá vender a terceiros para que equipem os seus carros.Para já, a única certeza é que a Apple tem o seu primeiro carro na rua e que os seus testes vão começar, para ter acesso a um produto que, como é normal na empresa, só no fim se saberá o que é.source: pplware.sapo.pt

Cabo submarino de fibra ótica vai ligar Portugal ao Brasil

27 de Abril de 2017 às 09:50
FibraOtica


As infraestruturas de comunicação têm uma elevada importância nas mais diversas áreas da sociedade. Nas comunicações transoceânicas grande parte dos dados entre Continentes passam por cabos submarinos sendo que as ligações por satélite são usadas normalmente num segundo plano, especialmente pela questão da fiabilidade e largura de banda.Sabia que Portugal vai ganhar um cabo submarino de fibra ótica com ligação ao Brasil?
Será já em 2018 que um cabo submarino de fibra ótica vai ligar Portugal ao Brasil. Esta cabo permitirá a comunicação de Europa com o Brasil, com a novidade de não passar pelos Estados Unidos.Em declarações à agência Lusa o presidente do conselho de administração da EllaLink, Alfonso Gajate, revelou que  o cabo terá cerca de 9.400 quilómetros e irá unir Sines a Santos, no Estado de São Paulo no Brasil, com ramificações para Fortaleza (Brasil), Cabo Verde, Ilhas Canárias (Espanha) e Madeira (Portugal).O cabo não irá passar pelos Estados Unidos por razões estratégicas e de própria segurança da informação. Alfonso Gajate considera “absurdo” que oito dos nove dos atuais cabos submarinos que ligam a Europa à América do Sul passem pelos Estados Unidos, com 99% do tráfego de dados, e apenas um, obsoleto e saturado, faça a ligação mais curta.O presidente do conselho de administração da EllaLink assegurou que “o projeto tem o apoio do Governo português” e que a empresa tem de equipar um centro técnico que já tem em Sines e estará também presente em Lisboa, onde irá conectar a uma série de outras ligações já existentes na capital portuguesa.O único cabo que neste momento liga a Europa ao Brasil, denominado Atlantis-2, já está com a sua capacidade praticamente esgotada e é usado, principalmente, para comunicações telefónicas.Além do cabo submarino de fibra ótica entre Portugal e Brasil, está previsto para 2019 um cabo que ligará a Espanha e o Brasil.Lusasource: pplware.sapo.pt

YI HALO: A nova câmara da Google para filmar a 360º

26 de Abril de 2017 às 09:58
Google

Com o mercado da realidade virtual e dos conteúdos 360º cada vez mais presentes, é normal que as grandes empresas procurem ganhar o seu espaço. Depois de muitas outras terem já mostrado as suas propostas, é agora a vez da Google revelar o que tem preparado.A YI HALO foi apresentada e prepara-se para ser uma câmara única para criar conteúdos nesta nova tecnologia que cada vez está mais interessante.
Foi em 2015 que a Google lançou o seu programa Jump, criado para simplificar a produção de vídeos VR. A equipa do Jump associou-se aos principais fabricantes para criar câmaras de elevada qualidade, ao mesmo tempo que as tornava simples. Tem ainda a plataforma Jumo Assembler, que usa algoritmos sofisticados e a capacidade de processamento dos centros de dados da Google para produzir os vídeos.A YI HALO resulta de uma parceria entre a Google e a Yi, uma subsidiária da Xiaomi. Esta câmara 3D, composta por 17 elementos, permite a captura de vídeo 8K a 30fps ou vídeo 6K a 60fps.O vídeo abaixo mostra todas as capacidades da YI HALO e o que os produtores de conteúdos 3D podem fazer com esta nova câmara.Pesando apenas 3,5kg, a HALO é composta por 16 câmaras dispostas num círculo e mais uma colocada no meio, virada para cima. Tem capacidade de funcionar 100 minutos com uma bateria, que pode ser trocada sem que o sistema se desligue.A simplicidade de utilização da YI HALO é tão grande que basta apenas um smartphone para que possa ser controlada. O único senão desta nova câmara é mesmo o seu preço, que ultrapassa os 17 mil dólares.A Google está ainda a lançar o programa Jump Start, que vai dar acesso a esta nova câmara e ao Jump Assembler a 100 realizadores que queiram começar a criar conteúdo VR.source: pplware.sapo.pt

Microsoft tem planos para combater os Chromebooks da Google

24 de Abril de 2017 às 09:55
Microsoft


A Microsoft tem estado a repensar a sua posição no mercado e a tentar encontrar novas formas de conseguir atrair clientes. A mudança do Windows 10 provou que está no caminho certo e mais novidades podem estar a chegar. O alvo já foi escolhido e vai atingir os Chromebooks da Google, sendo o Windows 10 Cloud a arma usada.
Há já bastante tempo que se fala do Windows 10 Cloud e da utilização que a Microsoft se prepara para lhe dar. Apesar de tudo o que se sabia, não havia uma certeza sobre a que se destinava este novo sistema. Agora, graças a informações obtidas internamente na Microsoft, sabe-se que este será um sistema operativo dedicado a combater os Chromebooks da Google.A informação é clara e mostra qual o hardware mínimo que a Microsoft definiu para o Windows 10 Cloud. As especificações são modestas e mostram que, para além de um processador quad-core Celeron, ou melhor, são esperados 4GB de RAM e 32 ou 64GB de armazenamento num SSD ou eMMC rápido. A presença de caneta ou ecrã tátil vão ser opcionais.Mesmo com este hardware mediano, a Microsoft quer que o Windows 10 Cloud seja rápido no arranque e no resumo de sessão. Quanto à bateria, a Microsoft quer que dure um dia de trabalho.Ao comparar-se com os Chromebooks da Google, a Microsoft prepara-se para atingir maioritariamente o campo dos equipamentos preparados para o mercado da educação. Aqui a Google domina, nos EUA, com mais de metade do mercado, sendo por isso difícil à Microsoft garantir de imediato uma posição dominante.Para muitos, o Windows 10 Cloud poderá ser mais interessante e apelativo, uma vez que não dependerá exclusivamente da Internet para dar acesso às aplicações, algo que o Chrome OS não faz.Tudo será revelado pela Microsoft no próximo dia 2 de maio, no evento que a empresa prepara. Para além do novo Windows 10 Cloud e do hardware que servirá de suporte, é também provável que surjam novas máquinas, quem sabe o Surface Pro 5 e o novo SurfaceBook 2.source: pplware.sapo.pt

Chegou o Firefox 53, com menos falhas e o adeus ao Windows XP

20 de Abril de 2017 às 09:45
Firefox


A Mozilla tem procurado trazer de volta o Firefox para os tempos em que era um browser que dominava a Internet. O passado recente mostrou que o Chrome domina totalmente, mas o Firefox ainda recolhe a preferência de muitos.A versão 53 deste browser, que acaba de chegar, trouxe melhorias na estabilidade do Firefox e, principalmente, uma redução nas falhas deste browser.
Firefox 53, um browser com menos falhasO Firefox 53, que acaba de chegar, traz um novo gestor de processos GPU, que segundo a Mozilla consegue reduzir em mais de 20% os problemas e falhas do seu browser.O Quantum Compositor, criado para tornar mais estável o Firefox no Windows, permite uma redução de falha na ordem dos 22% nos casos de problemas com o Direct3D e 17% no caso de problemas com drivers.O Firefox 53 traz também o fim do canal de desenvolvimento Aurora, passando os utilizadores para o canal Beta. Dois novos temas, o Compacto Escuro e o Compacto Claro estão presentes, bem como o redesenhar de algumas das caixas de diálogo.O fim do suporte do Firefox aos sistemas operativos antigosAlgo que muitos podem considerar menos positivo, e que chega com o Firefox 53, é o fim do suporte para as versões mais antigas dos sistemas operativos, muitas delas já descontinuadas.Vamos assim ver desaparecer o suporte para o Windows XP e Vista, bem como para o Mac OS X 32-bit e para o Linux, quer corra em processadores Pentium 4 ou AMD Opteron.Todos os utilizadores que estiverem nestes sistemas operativos que deixam de ser suportados devem passar para a versão com extended support do Firefox 52.O Firefox 53 está já disponível para atualização diretamente no browser, podendo também ser encontrado na página oficial do próprio browser.source: pplware.sapo.pt