219 347 706 Email Facebook
Windows

Microsoft prepara-se para dar uma nova cara ao Windows 10 na próxima grande atualização

16 de Novembro de 2018 às 09:16

Samsung quer evitar fugas de informação sobre o Galaxy S8

19 de Outubro de 2016 às 09:30
Samsung


Depois do fracasso e dos problemas que o Note7 trouxe à Samsung, a empresa está muito cautelosa com os novos equipamentos que prepara.A sua próxima grande proposta deverá ser o Galaxy S8 e, por isso, a Samsung já alertou todos os seus funcionários para que previnam as fugas de informação sobre estes novos equipamentos.

Para evitar novos problemas e para reconquistar a credibilidade que tinha, a Samsung está a tentar que o novo Galaxy S8 esteja o mínimo exposto na Internet. Para isso os altos quadros da Samsung estão a tentar convencer todas as suas equipas a manterem o segredo sobre o novo smartphone.Num email enviado a todos os funcionários da Samsung, foi pedido que não sejam reveladas quaisquer informações, sob pena de isso causar ainda mais danos à empresa.Leaks of operational secrets can cause irreversible ramifications, posing a great financial risk on the company and leading to broken partnerships and loss of trust.”Para além disso essas fugas de informação levam a que sejam quebrados laços de confiança com os fornecedores e que sejam quebradas parcerias essenciais à Samsung.Mas a empresa sul-coreana foi mais longe e fez este mesmo pedido não apenas aos seus funcionários. Até aos fornecedores de peças destes equipamentos foi pedido o máximo sigilo. A informação veio de uma fonte anónima ligada a esta cadeia de fornecimento."Samsung has notified its suppliers not to mention a single word on the Galaxy S8."O novo elemento da família Galaxy deverá chegar ao mercado em Fevereiro do próximo ano e a Samsung apostará nele para reconquistar os clientes que perdeu com todo o problema que o Note7 causou.source: pplware.sapo.pt

Samsung começou a produzir processadores de 10 nanómetros

18 de Outubro de 2016 às 09:41
Samsung


A Lei de Moore está a ser desafiada pelos fabricantes dos processadores: a Samsung é a primeira empresa a fabricar um processador que recorre a semicondutores fabricados com o processo de 10 nanómetros. Assim, a empresa coreana sai à frente da sua rival Intel.O que poderá significar este avanço da tecnologia?
Temos assistido a uma evolução da indústria da computação alinhada pela Lei de Moore (criada por um dos fundadores da Intel, Gordon E. Moore), que diz que o número de transístores duplica a cada 2 anos mas que o preço de cada chip irá manter-se constante. A actual geração tecnológica já usa tecnologia de 14nm. A Intel foi das primeiras a lançar-se na corrida e fez saber que, em 2017 ou 2018, iria lançar a linhaCannonlake, que irá ser fabricada com semicondutores de 10 nm.A Samsung, contudo, está já a iniciar o fabrico dos processadores que recorrem à tecnologia de 10 nanómetros. Para termos uma ideia, se colocarmos numa escala, estes novos transístores serão 50 vezes maiores que um átomo de silício que, por sua vez, tem um tamanho de cerca de 0,2 nanómetros. Mas quem irá fabricar para a Samsung?A Samsung não referiu quem estará a fabricar os seus chips que fazem parte do SoC que a empresa irá utilizar, contudo, uma publicação da Electronic Times da Coreia do Sul referiu que a gigante da tecnologia tem um acordo de exclusividade com a Qualcomm para a criação da próxima geração dos processadores Snapdragon 830, que terão tecnologia de 10 nanómetros.A empresa irá utilizar o processo FinFET de 10 nanómetros para produzir uma estrutura renovada multi-camada 3D nos transístores. Este novo design irá resultar numa melhoria de performance na casa dos 27% ou num impacto em cerca de 40% na poupança de energia, isto em relação à actual tecnologia de 14 nanómetros. Assim, os dispositivos serão mais rápidos mas também mais poupados em termos energéticos.Com os transístores a aproximarem-se dos tamanhos atómicos, a Samsung precisa de utilizar a técnica de padronização tripla (triple-patterning), incidindo três vezes nos transístores com feixes de electrões, de modo a aumentar a densidade característica.Os chips com tecnologia de 10 nanómetros da Samsung irão, certamente, equipar a próxima geração Qualcomm Snapdragon 830 e muitos dos futuros smartphones da Samsung. Poderá aparecer esta tecnologia noutros dispositivos?A Samsung referiu que a primeira geração com este sistema começará a aparecer em dispositivos no início do próximo ano, enquanto a tecnologia de segunda geração virá no segundo semestre de 2017. Se, de facto, os Snapdragon 830 vierem equipados com este processador de 10 nanómetros, então a Samsung abriu o caminho para os dispositivos da Google, HTC, Sony e outros, chegarem ao mercado mais poderosos.Ao aparecer no início do próximo ano, poderá ser já esta tecnologia a equipar o Galaxy S8 e, provavelmente, o dispositivo que vem substituir o problemático Note7, onde poderá até aparecer uma nova referência que não seja o Galaxy Note, designação que a Samsung deverá deixar cair.Assim, a gigante sul-coreana dá mais um passo importante no desenvolvimento de dispositivos mais poderosos e mais eficientes.source: pplware.sapo.pt

Microsoft alerta: O iOS já não é mais seguro que o Android

17 de Outubro de 2016 às 09:39
Apple Microsoft


É uma ideia generalizada a de que o iOS é dos sistemas operativos mais seguros e que, por sua vez, o Android tem níveis de segurança pouco elevados.Mas, afinal, podem todos estar enganados e o iOS poderá ser tão ou mais inseguro que o Android. Quem o afirma é a Microsoft, com base em informações recentes.

Foi Brad Anderson, vice presidente para a mobilidade da Microsoft, que veio alertar todos para esta nova realidade. Anderson apresentou esta ideia com base em casos recentes de falhas de segurança que afectaram o iOS.Em concreto, tomou como exemplo o recente problema de malware Pegasus, que foi descoberto pela empresa de segurança Lookout. Segundo foi descoberto, este é o mais persistente e sofisticado malware que existe para o iOS, devendo todos actualizar para a mais recente versão deste sistema operativo.A informação que Brad Anderson partilhou, em artigo publicado num blog da Microsoft, mostra que este recente caso revela que, afinal, o iOS acaba por ser tão ou mais vulnerável que o Android e que todos devem focar-se nos problemas de segurança de forma global, e não por sistema operativo.Brad Anderson reforça que os dispositivos móveis estão constantemente sob ataque, independentemente da plataforma usada ou das aplicações que  são usadas.Over the last two years, I’ve had senior executives tell me countless times that they have unwavering implicit trust in the iOS platform. In these discussions it’s been pretty common to hear a comment like, “I don’t trust Android because it is like the wild, wild west – but I have tremendous trust in iOS because it is a controlled and procured ecosystem.” I’m not attempting to throw stones at Android or iOS – but there is a dilemma with this perspective. To be perfectly clear, the dilemma is this: I know for a fact that all the providers of mobile operating systems go to superhuman lengths to harden their platforms and do everything they can [to] deliver the most secure operating system possible – but this fact also exists in our modern era of digital threats that produce consistent successful attacks despite the incredible efforts of the organizations building these platforms.Os dispositivos móveis são, agora, um alvo com tanto ou mais interesse que os computadores, por terem acesso a informação sensível sobre as empresas, devendo a segurança ser transversal e focada em todos os dispositivos.Anderson foca ainda que todas as empresas devem assumir que estão em posição de vulnerabilidade e, a partir daí, construir os seus sistemas de defesa para se protegerem.Mas o ponto mais importante deste extenso artigo de Brad Anderson é que, hoje em dia, não existem sistemas perfeitos e que qualquer um pode ser atacado, muitas vezes sem que os utilizadores tenham consciência disso.Já lá vai o tempo em que o iOS era mais seguro que o Android e, como se pode ver, ambos os sistemas estão vulneráveis e os utilizadores expostos.source: pplware.sapo.pt

Windows 10: Mais uma actualização e novos problemas a instalar

13 de Outubro de 2016 às 10:34
Windows Microsoft

As actualizações periódicas do Windows 10 são uma decisão inteligente da Microsoft. De forma recorrente são lançadas novas actualizações cumulativas com algumas novidades e com correcções de problemas.As últimas actualizações trouxeram quase sempre problemas aos utilizadores assim como a actualização mais recente. A KB3194798 foi lançada há poucas horas e já há queixas.

A actualização KB3194798 foi lançada há poucas horas em conjunto com outras actualizações cumulativas para outras versões do Windows 10. Sabe-se que traz algumas melhorias de performance que resultam de algumas novidades e correcções de bugs. É dedicada a quem tem já instalada a actualização de Aniversário.Mas muitos dos utilizadores que já receberam a notificação para a instalação desta actualização cumulativa estão a começar a deparar-se com problemas que impedem a sua correcta instalação. Como sempre é nos fóruns da Microsoft que estas queixas surgem, começando já a acumularem-se os problemas reportadosAs descrições do problema são ainda muito vagas, mas todas incidem sobre o mesmo ponto. Após ser descarregada e, supostamente, aplicada, surge uma mensagem de erro e a instalação é revertida, voltando o Windows 10 ao ponto inicial, novamente com a indicação de que a actualização KB3194798 necessita de ser instalada.Vários utilizadores indicaram que tentaram repetidamente a instalação do pacote KB3194798 e o resultado final foi sempre o mesmo.Para além de não haver uma causa identificada para este problema, não existe também qualquer solução para o mesmo. A melhor forma de lidar para já com este problema é retardar a instalação desta actualização até que a Microsoft forneça uma solução para o problema.Não tem sido pacífico o lançamento das últimas actualizações do Windows 10. Os problemas são recorrentes e impedem a sua instalação. A Microsoft tem reagido de forma rápida e apresenta sempre soluções para estas situações, pelo que apenas resta aos utilizadores aguardar.source: pplware.sapo.pt

A Samsung está a enviar kits de recolha anti-fogo para o Note7

12 de Outubro de 2016 às 09:45
Samsung

Foi hoje que a Samsung resolveu terminar de vez com as vendas do Note7 e com todos os problemas que o estão a afectar. Era uma decisão esperada, mas que muitos não julgavam possível.Para realizar a recolha dos equipamentos que ainda estão com os consumidores, a Samsung está agora a enviar uma caixa especial para a recolha. A preocupação é tal que a caixa é anti-fogo.

Com cada vez mais casos a surgirem de Samsungs Note7 que explodem, ou que entram em combustão, é hora da empresa coreana reiniciar o processo de recolha das unidades de substituição, mas desta vez com um cuidado especial.O kit de recolha, que agora está a ser enviado, é especial e inclui um par de luvas e uma caixa que está indicada ser anti-fogo e com protecção especial.Há ainda instruções específicas sobre a forma como a encomenda deve ser devolvida, sendo completamente proibido o seu envio por avião, devendo ser usado o correio por transporte terrestre.É suposto que a protecção termal da caixa de transporte ofereça protecção a quem manusear a encomenda durante o transporte, e impeça que surjam problemas caso ocorra uma explosão durante essa viagem.Não se sabe ao certo de que forma irá a Samsung compensar todos os que compraram o Note7 e que estão a passar por este problema mas, provavelmente, vão receber um novo smartphone da empresa, mas não o Note7 que escolheram.source: pplware.sapo.pt

Manifestação dos taxistas levou Uber ao topo da App Store

11 de Outubro de 2016 às 09:29
Uber Taxi Portugal


As manifestações dos taxistas contra a Uber e a Cabify tomaram ontem de assalto a cidade de Lisboa. Durante horas foi impossível circular na capital do país e a confusão esteve instalada.Mas o protesto acabou por criar um elevado grau de curiosidade e a aplicação da Uber acabou por subir ao topo das aplicações mais descarregadas da App Store.

O protesto que decorreu ontem mostrou novamente aos portugueses que os taxistas estão contra todas as plataformas electrónicas de transportes. A sua ira e descontentamento focou-se em duas dessas aplicações, a Uber e a Cabify, que entendem serem ilegais. A ideia era também mostrar ao governo que estão contra a ideia de legalizar estas plataformas, seja sob que modelo venha a ser decidido.Mas a verdade é que muito mais do que que manifestar a sua posição, os taxistas acabaram por criar um efeito contrário e fizeram com que a Uber e a Cabify fossem ainda mais conhecidas e que as aplicações fossem ainda mais descarregadas.Durante o dia de hoje a aplicação da Uber, a mais conhecida em Portugal, não parou de subir e ao final do dia tinha atingido o topo da lista das aplicações gratuitas mais descarregadas na App Store.No caso do Android a situação foi semelhante, com a aplicação a subir vários lugares na tabela, ocupando a 13ª posição da lista de aplicações da Play Store.Na verdade esta não é a primeira vez que esta subida nas tabelas de aplicações acontece. Este é um comportamento normal sempre que existem estes protestos. Já em Abril deste ano, durante as manifestações dos taxistas, a app da Uber tinha subido aos tops das aplicações mais descarregadas.A ideia dos protestos dos taxistas acabou por valer à Uber como publicidade, que assim viu muitos potenciais clientes ligarem-se à sua plataforma.source: pplware.sapo.pt

O FBI tem mais um iPhone para desbloquear

10 de Outubro de 2016 às 09:31
FBI Apple


O recente caso do atirador de San Bernardino, colocou frente a frente a Apple e o FBI. As autoridades queriam que a empresa de Cupertino desbloqueasse o iPhone do terrorista, algo que acabou por não ser necessário.Mas, se esse caso acabou por não envolver a Apple, há um novo que envolve um iPhone e que poderá reacender toda a polémica e voltar a colocar frente a frente a Apple e o FBI.

Novamente o FBI tem em mãos um iPhone que necessita de desbloquear, desta vez oriundo de um terrorista que foi abatido no rescaldo de um ataque.O novo iPhone que o FBI pretende desbloquear pertence a Dahir Adan, o atacante que no passado mês esfaqueou 10 pessoas num centro comercial do Minnesota e que acabaria por ser abatido pela polícia. O FBI acredita que no seu telefone será possível ter pistas para perceber os motivos do seu ataque e possíveis ligações ao ISIS.No caso do atirador de San Bernardino, o FBI acabou por conseguir desbloquear o iPhone, mas sem recorrer à Apple, pagando uma quantia avultada para tal. Neste novo caso, ainda não se sabe se irá novamente optar por intimar a Apple para o fazer ou se irá novamente recorrer a métodos alternativos.Os problemas de desbloquear este novo iPhoneSe no caso de San Bernardino acabou por ser simples o acesso aos dados, nesta nova situação o processo pode ser mais complexo. A partir do iOS 9 as medidas de segurança são mais apertadas e é impossível conseguir este desbloqueio recorrendo a algumas técnicas conhecidas.Por não se saber qual o modelo do iPhone que está em causa, nem qual a versão do iOS instalada, é ainda demasiado cedo para saber que medidas o FBI irá tomar, mas não fica para já de fora a possibilidade de voltar a chamar a Apple a tribunal.We are in the process of assessing our legal and technical options to gain access to this device and the data it may contain.A título de curiosidade, e segundo notícia a CNN, quando Adan realizou este ataque, estava no centro comercial para comprar o novo iPhone 7.Este pode ser o início de mais uma guerra entre o FBI e a Apple, que poderá novamente não resultar em qualquer acção por parte da gigante tecnológica. A urgência do FBI em realizar este desbloqueio poderá levar a que as forças policiais prefiram pagar, voltando a Apple a sair incólume.source: pplware.sapo.pt

Atenção aos novos concursos fraudulentos no Facebook

7 de Outubro de 2016 às 09:26
Facebook


Um dos conteúdos falsos que mais se tem visto na rede social, são os concursos fraudulentos e, recentemente, surgiram pelo menos 3 páginas com esses falsos concursos. Não participe, são uma fraude!



Mesmo depois de vários alertas, como este, ainda existem milhares de pessoas que ‘caem’ no ‘conto do vigário’.Os concursos falsos que surgem no Facebook são um bom exemplo disso mesmo. Recentemente, surgiram mais 3 exemplos, utilizando páginas com o nome de marcas conhecidas, neste caso Mercedes, Intermarché e Pingo Doce, com concursos com ofertas tentadoras: um carro e cartões com bastante dinheiro em compras.Estas são as páginas com concursos fraudulentos:Mercedes-Benz Soc Com C SantosMesmo que existam vários utilizadores atentos que vão alertando (como podemos ver nas mensagens deixadas à direita na imagem), ainda existem muitos que ‘tentam a sorte’. Contudo, deixamos um alerta ainda mais profundo… a divulgação dos vossos dados!Nesta página, uma das últimas publicações, remete para um site duvidoso onde é pedido que preencham os vossos dados:Se pensarmos bem… em primeiro lugar uma página da Mercedes não iria direccionar para uma página supostamente da Audi. Por outro lado, se pesquisarmos sobre este site, vemos que nem sequer tem informações suficientes. Ora, um concurso deste calibre, teria que estar associado a um site credível e legal.Caetano Baviera BMWEsta página, à semelhança da acima, também uma publicação que ‘curiosamente’ direcciona para um endereço suspeito praticamente igual, que pede os vossos dados.Intermarche Cartao PoupançaPor norma, estes passatempos têm o mesmo padrão: páginas criadas há pouco tempo, com nome de marcas conhecidas e uma oferta apetecível, num concurso cujo procedimento é praticamente sempre o mesmo: fazer gosto, partilhar e comentar.Mais um alerta para esta página que contém uma publicação que direcciona para um site suspeito, que pode comprometer os vossos dados:Pingo DoceAtenção para não confundirem com a página oficial da marca pois, muitas vezes, é isso que acontece, as pessoas julgam estar a participar em concursos credíveis, exactamente, porque tem uma marca conhecida associada.Qual é o objectivo, afinal, destas páginas?Com estes concursos, estas páginas conseguem angariar muitos seguidores/likes num curto espaço de tempo. Muitas vezes são páginas criadas pelas mesmas pessoas e, depois das páginas terem muitos likes, podem trocar o nome da mesma, para outros fins.Alertamos para estas situações pois, ao partilhar, o utilizador está também a induzir em erro outras pessoas menos informadas e, o que parece inofensivo, pode ser o início de uma dor de cabeça, sobretudo quando cedemos os nossos dados pessoais.source: pplware.sapo.pt

Os seus pagamentos já podem ser feitos através… de uma selfie

6 de Outubro de 2016 às 09:32
Selfie Mastercard


Foi há pouco mais de um ano que a Mastercard anunciou que se estava a preparar para lançar um serviço de validação de pagamentos através do reconhecimento facial e impressões digitais.Depois de todo este tempo a desenvolver o serviço, eis que o Identity Check Mobile chega à Europa.
O Identity Check Mobile é aplicação de pagamentos que utiliza dados biométricos, nomeadamente impressões digitais e reconhecimento facial, para verificar a identidade do titular do cartão.O lançamento do Identity Check Mobile vai ser feito de forma faseada durante o próximo ano e, para já, foi disponibilizada em 12 países europeus, mas Portugal ainda não foi incluído. Reino Unido, Áustria, Bélgica, República Checa, Dinamarca, Finlândia, Alemanha, Hungria, Países Baixos, Noruega, Espanha e Suécia, são já os países contemplados. Antes disso, foi sujeita a testes na Holanda, nos EUA e Canadá.Sem palavras-passe ou códigos PIN, esta nova aplicação da Mastercard, vem simplificar e aumentar a segurança dos pagamentos online.Segundo Paulo Raposo, country manager Mastercard para Portugal, “a Mastercard pretende ser referência em matéria de segurança e inovação tecnológica nos pagamentos. A aplicação Mastercard Identity Check Mobile vem ao encontro deste compromisso, facilitando os pagamentos online, aumentando a sua fluidez e a eficácia e facilitando o dia-a-dia de todos os consumidores”.Perceba melhor como funciona o serviço através do seguinte vídeo.
ed



ujp





source: pplware.sapo.pt

Bateria do iPhone 7 tem problemas? A autonomia é fraca!

4 de Outubro de 2016 às 09:28
Apple


De acordo com resultados recentes, os novos iPhone 7 e iPhone 7 Plus são os equipamentos mais poderosos da actualidade. Apesar de alguns problemas já conhecidos,  ficou agora a saber-se que afinal a autonomia do novo iPhone 7 é bem inferior à dos seus três principais concorrentes do segmento Android.Ficou curioso? Conheça os resultados!
O site Which colocou à prova o novo iPhone 7 contra três smartphones Android de topo concorrentes: o Samsung Galaxy S7, o HTC 10 e o LG G5.O iPhone 7 tinha como sistema operativo o iOS 10, e os três smartphones Android tinham o Android 6.0Marshmallow. De acordo com os testes, que tiveram como base uma chamada via 3G, o iPhone 7 apenas aguentou 712 minutos, sendo o equipamento a registar a pior autonomia. O HTC 10 conseguiu aguentar 1859 minutos (cerca de 31 horas), o LG G5 1579 minutos e na terceira posição o Samsung Galaxy S7 que, mesmo assim, consegui aguentar o dobro do iPhone 7.Na utilização de Internet, via 3G, o iPhone 7 voltou a registar o pior registo, conseguindo apenas uma autonomia de 615 minutos. O HTC 10 voltou a ser o equipamento que mais aguentou (790 minutos)  e na segunda posição aparece o Samsung Galaxy S7  com 677 minutos. Na terceira posição está o LG com uma autonomia de 640 minutos.Porque a bateria do iPhone 7 garante tão pouca autonomia?Apesar de todas as optimizações em termos de hardware e software, a capacidade da bateria do iPhone é de apenas 1960mAh. Já no caso do HTC 10 a capacidade da bateria é de 3000mAh, logo facilmente podemos concluir que a bateria do HTC garantirá uma melhor autonomia comparativamente à usado no iPhone.source: pplware.sapo.pt