219 347 706 Email Facebook
Windows

Microsoft prepara-se para dar uma nova cara ao Windows 10 na próxima grande atualização

16 de Novembro de 2018 às 09:16

iPhone 7 pode ser um grande problema para a Apple?

1 de Agosto de 2016 às 09:53
Apple


De acordo com os últimos rumores, o novo iPhone 7 deverá chegar dia 12 de Setembro e há muita curiosidade nas tecnologias que vai integrar e também no design que irá ter.Do que se sabe, a Apple não vai proceder a alterações significativas ao nível do design o que poderá ser um grande problema para a empresa segundo um inquérito.
Segundo os resultados de um inquérito, realizado recentemente pela empresa Quartz, parte dos utilizadores não irão mudar para a nova versão do iPhone caso a Apple mantenha o design do iPhone 6. O inquérito foi feito a 525 utilizadores com iPhone.Como mostra o gráfico seguinte, 25% dos utilizadores revelam que não estão interessados no novo iPhone caso a Apple mantenha o design do iPhone 6.Quando questionados sobre qual a frequência de mudança de versão do iPhone, a grande maioria (48,6%) respondeu 2 anos.Mas apenas cerca de 10% dos entrevistados revelaram que estão interessados no novo equipamento mesmo este mantenha o design do iPhone 6.70 % dos utilizadores revelaram que ajustaram o ciclo de actualização (compra de um novo iPhone) para 3 anos caso a Apple siga essa estratégia.Os resultados deste inquérito não são muito favoráveis à Apple mas certamente que a empresa de Cupertino introduzirá novidades no novo iPhone que levarão à aquisição do mesmo por parte dos utilizadores.source: pplware.sapo.pt

Qual o modelo do iPhone que resistiria a um incêndio?

27 de Julho de 2016 às 09:35
Apple


Por todo mundo há testes a tudo e mais alguma coisa ao nível dos dispositivos móveis. Depois de, no passado, termos mostrado aqui qual o iPhone mais rápido, hoje vamos conhecer qual o mais resistente ao fogo.Qual o seu palpite? Veja o vídeo.
O youtuber Zach Straley publicou recentemente um vídeo que mostra qual/quais dos modelos do iPhone será o mais resistente ao fogo. Depois dos já vulgares testes de imersão em água e pressão, Straley decidiu colocar num tabuleiro um iPhone 2G, 3G, 3GS, 4, 4s, 5, 5c, 5s, 6 e 6s e… incendiá-los! Ora veja o vídeo para saber qual o mais resistente.Durante algum tempo, o tabuleiro de metal, onde estavam os iPhones, esteve em chamas. Como podemos ver pelo vídeo, numa primeira análise, percebe-se que o iPhone 2G é o único que mantém o visor funcional.No entanto, o autor do vídeo verificou que, apesar dos fortes danos, os iPhones 2G, 3G, 3GS, 4 e 4s foram os únicos que resistiram e continuaram a funcionar (com várias limitações). Curiosamente, os modelos mais recentes deixaram de funcionar.O autor do video revela que o tabuleiro não estava nivelado e havia mais concentração de gás de isqueiro nos modelos mais recentes.source: pplware.sapo.pt

Evite surpresas na factura do telefone

27 de Julho de 2016 às 09:35
ANACOM


Como sabemos, desde o passado dia 17 de Julho que algumas regras na lei das comunicações mudaram. De forma a esclarecer melhor os utilizadores, a Autoridade Nacional das Telecomunicações  lançou a iniciativa “Alertas ANACOM”,com o objectivo de reforçar a informação sobre as novas regras sobre fidelização e como evitar surpresas na factura do telefone.
A ANACOM criou a iniciativa “Alertas ANACOM”, lançada com o objectivo de reforçar a informação que esta Autoridade disponibiliza aos consumidores sobre temas sectoriais específicos, os quais reflectem as principais questões suscitadas nas reclamações recebidas. Relativamente às novas regras sobre fidelização é importante o seguinte:Novas regras sobre fidelizaçãoA partir de agora, o seu operador tem de o informar por escrito sobre o período de fidelização.Nos contratos feitos por telefone, a gravação da sua chamada tem que ser conservada pelo operador durante todo o prazo do contrato, e até que a última fatura possa ser cobrada.O valor a pagar em caso de cancelamento antecipado é agora limitado por lei.Só pode haver re-fidelização com a sua autorização expressa e se forem oferecidas novas condições promocionais ou equipamentos subsidiados.Além das novas regras de fidelização, a ANACOM publicou também um conjunto de alertar para que se evite surpresas na factura do telefone.Quer evitar surpresas na factura do telefone?Saiba que existem alguns tarifários que incluem chamadas gratuitas para números fixos (iniciados por 2 e, para alguns operadores, também iniciados por 3).Mas tenha atenção: os números iniciados por 7 (ex.: 760) têm custos acrescidos e não estão incluídos nesses tarifários.Os números iniciados por 601, 607, 608, 646 e 648 também têm custos acrescidos mas devem estar barrados por defeito.Se não concorda com o total da factura, pode pagar só o valor que considera correto.Mais informações sobre o tema pode consultar no próprio site da ANACOM.source: pplware.sapo.pt

Facebook e Apple à procura de negócios inovadores em Portugal

25 de Julho de 2016 às 09:59
Facebook Apple


Vários representantes de empresas tecnológicas líderes internacionais como a Apple, Facebook, Twitter, Amazon, Airbnb e Square vêm a Portugal entre julho e final de setembro para conhecer e contactar com empreendedores, venture capital, investidores e outros atores do ecossistema empreendedor nacional. A Apple é a segunda empresa a visitar o país em 28 e 29 de julho, seguida dos representantes da Amazon, que estarão em Portugal entre 29 e 31 de agosto. Depois chegarão os membros da equipa do Facebook, encontro agendado para o final de setembro.



O desafio, lançado pela AICEP - Agência de Investimento para o Comércio Externo de Portugal, surge na sequência do road show que Miguel Frasquilho, diretor daquele organismo, fez em abril aos Estados Unidos. O objetivo deste convite é dar a conhecer melhor Portugal, as oportunidades de parceria e até de investimento em empresas portuguesas. Na altura, em Nova Iorque e em São Francisco, Miguel Frasquilho apresentou às grandes tecnológicas alguns casos portugueses de sucesso que já conseguiram investimento a nível internacional, como a Farfetch, a Talkdesk, a Feedzai e a Uniplaces.

"Percebemos durante a viagem que havia um desconhecimento do que é Portugal em termos de indicadores de turismo, empreendedorismo e inovação. Lisboa e Portugal estão na moda, batem recordes e estão muito virados para os negócios", explica Miguel Frasquilho em entrevista ao DN/ Dinheiro Vivo.

O modelo-tipo destas visitas - cujos custos são completamente suportados pelas empresas estrangeiras que estejam interessadas em conhecer mais de perto Portugal - inclui reuniões entre os representantes das tecnológicas internacionais com incubadoras, aceleradoras, investidores e empreendedores, um pouco por todo o país. Estes programas e marcação de reuniões estão a cargo da AICEP, que pensou em desafiar as tecnológicas internacionais como uma estratégia para dar a conhecer o que de melhor se faz no país.



No radar dos investidores
"A nossa ideia é que todos estes indicadores de crescimento e de vitalidade façam com que Portugal esteja nos radares destas empresas e de potencial investimento", adianta Miguel Frasquilho. Entre os associados à iniciativa da AICEP estão as incubadoras Startup Lisboa, Startup Braga, UPTEC, Instituto Pedro Nunes, a Beta-i e o fundo de investimento público Portugal Ventures. "Temos expectativas de que estas tecnológicas possam, depois destas visitas, aumentar a sua presença em Portugal", adianta Miguel Frasquilho, sublinhando que uma das possibilidades em cima da mesa é a abertura de uma retail store da Apple no nosso país.

A estratégia surge alinhada com o lançamento do Startup Portugal, a estratégia nacional para o empreendedorismo. Dentro das medidas anunciadas pelo governo de António Costa para dar a conhecer e potenciar o ecossistema empreendedor nacional, Miguel Frasquilho sublinha a criação de uma zona livre tecnológica, cujo plano será definido até ao final do ano, e o programa para o cofinanciamento de capitais de risco e business angels como as medidas que mais podem potenciar o investimento estrangeiro em startups portuguesas.source: pplware.sapo.pt

O seu próximo smartphone pode resistir a quedas de 1,6m

21 de Julho de 2016 às 09:35
Smartphone


A Corning, conhecida mundialmente por fabricar o famoso vidro Gorilla Glass, que está presente em muitos dos smartphones e tablets, anunciou hoje o novo Gorilla Glass 5.Esta nova versão garante o dobro de resistência da geração anterior.
O vidro Gorilla Glass está presente em mais de 4,5 mil milhões de dispositivos do mercado. Esta tecnologia faz com que o smartphone seja mais resistente a quedas, riscos, etc, e é usada pela maioria dos fabricantes de dispositivos móveis à escala mundial.Segundo a empresa, o novo Gorilla Glass 5 é duas vezes mais resistente que o Gorilla Glass 4 e poderá resistir a 80% das quedas até 1,6 metros (de acordo com os testes realizados).A empresa revelou também que em 2015, cerca de 85% utilizadores deixaram cair os seus smartphones. Cerca de dois terços das quedas aconteceram a uma altura entre a cintura e os ombros, uma zona onde as característica do Gorilla Glass 4 já não garantem que o vidro não quebre.O Gorilla Glass 5 deverá vir já este ano em alguns equipamentos.source: pplware.sapo.pt

Como lidar com a compra de um PC novo

19 de Julho de 2016 às 16:43
Dicas


Um dos maiores receios dos utilizadores aquando da aquisição de um PC novo com o Windows 10 ou até mesmo da actualização entre sistemas operativos tem a ver com a informação guardada e da maneira como a podemos manter, seja no novo PC, seja na recente actualização do sistema operativo. Por outras palavras, como lidar com a compra de um PC novo sem que se transforme numa dor de cabeça.Felizmente, com o avançar dos tempos, hoje em dia é possível encontrar soluções para tudo. Neste artigo deixamos 3 sugestões de como transferir informação de um Windows para o Windows 10.

Acabamos de comprar aquele modelo de PC novo que traz com ele o Windows 10 e que andamos a namorar durante meses. Chegamos a casa desempacotamos e estamos prontos para a acção. Mas espera! Falta tudo aqui… falta toda a minha informação, as minhas configurações, os meus e-mails, as minhas aplicações e software, os meus detalhes… tudo! Ainda por cima, vou ter de transferir ou criar tudo de base e não tenho o tempo para isso.E agora o que fazer? Analisar as ferramentas disponíveis:De forma ManualA forma manual e passo-a-passo é a mais trabalhosa – mas aquela que know how nos vai trazer no futuro. Implica a listagem das nossas aplicações e (re-)instalação de todas aquelas ferramentas que usamos no dia-a-dia. Favoritos dos explorador de Internet, plug-ins, e-mails, documentos do Word e Excel que guardemos, etc, etc, tudo tem de ser feito à mão.A verdade é que não é um processo muito difícil mas, é sim, muito moroso e nos dias que correm, tal como diz a sabedoria popular (ou o Agir): Tempo é dinheiro. Isto para nem falar mas eventuais questões de problemas que possam surgir nas instalações, conflitos de licenças no caso de software que funcione à base de disso, entre outras questões.Pessoalmente, já o fiz várias vezes para um PC novo, mas considero que é um inferno. São fins-de-semana de recolha total em casa, sem vida própria e que me obrigam a cumprir uma listagem muito rigorosa que devemos ter sempre em conta de forma a que tudo saia perfeito aquando da transferência:listagem total das aplicações (software);listagem de drivers fora do ambiente Windows;listagem de documentos;listagem de fotos e imagens;backup de toda a informação relevante que tenhamos instalada ou não como por exemplo os ficheiros PST do outlook.Claro que esta lista assume que pelo menos o sistema operativo já está a funcionar no PC novo ou na actualização, porque depois da listagem chega a segunda parte: ter de instalar, fazer cópias e transferir e verificar tudo acima mencionado no novo PC ou na nova actualização.Pese embora que, no caso de actualizações de sistema operativo e de forma muito geral, o trabalho envolvido pode não ser tão agravado pelo simples caso de a grande maioria das configurações ser mantida e serem totalmente compatíveis. PCTrans ProA calma nestas situações é imperativa pois soluções não faltam, na sua grande maioria com resultados evidentes, e uma das mais recomendadas passa pela visita a ESTE LINK – uma solução altamente robusta. No fundo, a primeira sugestão de deixo, trata-se de uma solução muito fácil de usar que permite a transferência de software de PC para Windows XP/Vista/Server 2003 & 7/8/8.1/10/2008/2012 e que pode ajudar os utilizadores na transferência dados e aplicações de maneira simples, segura e fiável do PC novo ou sistema operativo, minimizando o risco de danos sérios ou graves. Mas desta aplicação já tive a oportunidade desenvolver um artigo no passado ano de 2014.Por outro lado, alegrem-se os utilizadores pois até ao final do mês de Julho a Easeus está a oferecer a nossa sugestão totalmente à borla apesar de se tratar de uma ferramenta paga. Dêem uma vista de olhos caso estejam interessados ATRAVÉS DESTE LINK. Basta apenas escrever um comentário e partilhá-lo numa das redes sociais para se ficar com uma cópia gratuita e legal desta excelente ferramenta. PCtransferMas existem algumas alternativas como, por exemplo, a que podemos encontrar no PCTransfer. Francamente inferior, na minha opinião e em especial devido à sua interface, esta alternativa também nos pode ajudar na transferência da informação de um PC antigo para um novo ou na actualização de um sistema operativo.O programa não necessita de instalação e veremos de imediato uma listagem do que poderemos fazer backup: ficheiros do ambiente de trabalho, os sites favoritos dos nossos exploradores de Internet e respectivas configurações, documentos do Office, fotos, música, vídeos, e-mails do Outlook, dados do messenger favorito, Skype, etc.Podemos marcar ou desmarcar aqueles dados que mais nos interessam e depois escolher o disco para onde desejamos proceder com o backup completo. Laplink PCmoverEsta ferramenta, foi também ela desenhada para permitir a transferência de informação. Em resumidas palavras, pode ajudar a migrar algumas aplicações, as configurações e dados de um PC para outro. O que significa que o seu PC novo se pode vir parecer muito com o seu antigo a nível de conteúdos, mas sem o incómodo de ter que reinstalar manualmente e reconfigurar tudo.O programa é essencialmente um assistente, algo complexo, que percorre todos os passos do processo de migração. Primeiro analisa o nosso sistema antigo, ajudando-nos a decidir o que gostariamos de transferir; os nossos programas de configuração e os dados que podem ser guardados num ficheiro, e uma segunda cópia do PCmover Free que instalámos no PC novo, ou de destino, será concluído o processo.Apesar de ser uma boa ferramenta a versão gratuita permite apenas, por exemplo a migração no máximo de 3 aplicações. Já a nível de contas de utilizador, somente a que está a ser utilizada no momento pode ser transferida com os ficheiros e configurações.Por outro lado, por ser gratuito, teremos de instalar obrigatoriamente vários programas como por exemplo a Ask Toolbar, RealPlayer, a Actualização de Star, Kaspersky Security Scan, SpeedUpMyPC, Easy Duplicate Finder, MAGIX Movie Edit Pro e iYogi Doca Suporte. Esta última opção pode ser um grande problema, por termos de instalar programas que não desejamos ou precisamos. Conselhos práticosNa minha opinião e independentemente de qualquer método adoptado dos acima descritos, penso que existem rituais que devemos ter imediatamente a seguir ao facto de carregarmos no botão da energia do nosso novo computador. Entre eles considero essencial a instalação de algumas ferramentas base, na sua maioria gratuitas:Instalar um bom antivírus;Instalar uma ferramenta de backup e recuperação para prevenção de danos futuros;Deixar sempre em aberto uma ferramenta para lidar com as partições que pode passar por aqui ou poraqui.Caso os nossos leitores assim pretendam, poderão deixar abaixo outras sugestões e/ou melhorias aos processos apresentados.source: plware.sapo.pt

Facebook já deixa guardar vídeos para ver mais tarde

18 de Julho de 2016 às 09:55
Facebook


O Facebook tem, nos últimos anos, investido muito na vertente móvel da sua rede social. Entendeu que era esse o caminho a seguir e a verdade é que acertou em cheio.Como não pode parar de evoluir e de dar novidades aos utilizadores, resolveu finalmente permitir que os vídeos publicados possam ser guardados para ver mais tarde. Esta novidade chegou já à versão de testes do Facebook para Android.

Nem sempre existem as melhores condições para a visualização dos vídeos no Facebook. A ausência de rede ou o fim dos planos de dados, podem deixar um utilizador sem acesso ao Facebook e aos seus conteúdos.Para eliminar este problema e permitir que os utilizadores tenham acesso aos vídeos publicados, o Facebook deu agora início a novos testes, que vão permitir que estes vídeos sejam guardados e vistos mais tarde.Ao navegar no Facebook, o utilizador passará a ter uma nova opção: “Gravar”. Esta opção vai permitir que descarregue uma cópia para o seu smartphone, quando não tiver rede, para poder ver mais tarde.Mas o Facebook parece que tem uma pequena condição para que estes vídeos possam ser vistos. A cópia que é descarregada fica dentro da aplicação. Isto significa que estes vídeos não podem ser visualizados por qualquer outra aplicação do Android e têm mesmo de ser acedidos dentro da aplicação móvel do Facebook.Apesar de estar apenas disponível na versões 85 e 86 do Facebook Beta, esta é uma opção que ainda não aparece a todos os utilizadores. O Facebook deve gradualmente alargá-la a todos os que estão a experimentar estas versões de testes.Esta é mais uma forma que o Facebook encontrou para garantir que os seus utilizadores estão mais tempo ligados à sua rede, sem perderem nada do que é partilhado.source: pplware.sapo.pt

Pokémon Go: Saiba resolver o problema do sinal de GPS

18 de Julho de 2016 às 09:55
Pokemon


O dia de ontem foi bastante conturbado para os aficionados do jogo Pokémon Go. Os servidores da empresa Niantic estiveram com problemas e o jogo esteve “desligado” praticamente durante todo o dia. As suspeitas recaem sobre o grupo de hackers PoodleCorp, que poderão ser os culpados pelo ataque aos servidores.Hoje o jogo continua a não estar nos seus melhores dias e são muitos os jogadores que não conseguem entrar no jogo. Um dos problemas tem a ver com a sinal GPS e hoje tentamos ajudar a resolver!


São muitos os utilizadores que têm enviado pedidos de ajuda para o nosso Consultório e para o Grupo Gaming no Facebook porque estão a receber a mensagem de erro: GPS Signal Not Found. Como poderá resolver? Certifique-se que os Serviços de localização estão ligadosSe os Serviços de localização estiverem desligados no seu dispositivo, o mais certo é que a app Pokémon GO nunca consiga obter sinal de GPS.Vamos então verificar se tem esta funcionalidade activa.No iOSNo seu dispositivo iOS vá a Definições > Privacidade > Serviços de localização e, dentro deste menu, certifique-se que o botão, nos Serviços de localização, está ligado.Dentro ainda desta janela, procure a app Pokémon Go e que esta tem a opção “Ao usar” activa.No Android:Se estiver a utilizar um dispositivo com Android, então navegue até Definições > Privacidade e Segurança > Localização e verifique se o botão, no cimo desse menu, está ligado.Certifique-se também que o Modo de Localização está definido como GPS, Wi-Fi e redes móveis. Isto garante a melhor exactidão. Ligue o Wi-Fi para reparar instantaneamente a sua localizaçãoAntes do seu dispositivo “agarrar” sinal dos satélites GPS, pode acelerar o processo ligando o Wi-Fi, pois isso permitirá um bloqueio de localização mais rápido.No iOS:Chame o Centro de Controlo do seu dispositivo e clique no botão Wi-Fi. Isso levará o smartphone a ligar a antena wireless e a tentar captar sinal. Poderá também navegar até Definições > Wi-Fi.No Android:Desça a área de notificações no seu dispositivo e clique no botão Wi-Fi. Também pode ir pelo caminho mais difícil e ir a Definições > Wi-Fi. Certifique-se que esta opção está ligada.Assim que estiver pronto, com estas opções activas, irá notar que a app Pokemon GO terá logo sinal de GPS e não deverá apresentar a mensagem de erro “GPS Signal Not Found”. Ainda sem sinal GPS?Bom, se depois destas acções mesmo assim não tem sinal GPS e continua com a mensagem de erro, então há que considerar outros motivos.O dispositivo poderá ter problemas no receptor GPS, poderá a app ter um problema derivado da instalação (apague-a e volte a instalar) e poderá ainda ser um problema da app e isso será resolvido com uma actualização da app por parte dos servidores da Niantic (actualmente existem alguns bugs no jogo).source: pplware.sapo.pt

Apple perde liderança: Galaxy S7 já vende mais que iPhone 6S

14 de Julho de 2016 às 09:53
Apple Samsung


A luta da Apple e da Samsung no mercado móvel existe há vários anos. Se o domínio vinha a pender para o lado da Apple, a Samsung tem conseguido contrair esta tendência e ultrapassou a Apple.Os mais recentes números da Kantar mostram uma nova realidade, o Samsung Galaxy S7 já vende mais que o iPhone 6S e 6S Plus.

A Apple começou a mostrar quebras nas vendas, no início deste ano. Depois de anos de vendas recorde, a marca viu descer as vendas do iPhone para valores mais baixos e com a consequente perda de mercado.As restantes marcas e o Android aproveitaram esta quebra e conquistaram o espaço perdido, distanciando-se da Apple. Os mais recentes números, referentes ao trimestre que terminou em Maio, mostram que essa quebra ainda continua e que a Apple está a perder a liderança nos dispositivos móveis.O interesse dos consumidores está no Galaxy S7Os novos Galaxy S7 e S7 Edge, que a Samsung lançou no início do ano, mostraram ser as máquinas perfeitas para combater as ofertas da Apple. As preferências do consumidores estão já do lado da Samsung e dos S7, que consegu ter vendas de 11,1%, contra as da Apple e do iPhone 6S, que se ficam pelas 10%.Sales continue to be dominated by Samsung and Apple, and the Top 10 list of smartphones reflects that. The Galaxy S7 has become the top selling device at 11.1%, followed by the iPhone 6s with about 10% of smartphone sales during the period. The iPhone SE captured 3.6%. Huawei accounted for less than 1% of salesSe no mercado global os números estão quase equilibrados, nos Estados Unidos, onde a Apple tem o seu mais forte mercado, a diferença é ainda maior. Ali o S7 conta com a preferência de 16% contra os mais baixos 14,6% do iPhone.As guerras globais do Android e do iOSMas o mercado global de vendas vai muito para além destes dois modelos. Também aqui a Apple tem de lutar contra o Android, cada vez com ofertas mais elevadas e com o interesse dos utilizadores.Os números da Kantar mostram que a Apple voltou a perder terreno e nem o iPhone SE conseguiu garantir o crescimento esperado. Em mercados como o americano e o chinês, os palcos fortes da Apple, as perdas foram de 1,6% e de 1,7%.Do lado do Android esse crescimento existiu e foi sustentado, recuperando não apenas o que a Apple perdeu, mas conquistando ainda mais.Importa notar também as perdas do Windows Phone, que voltam a atingir valores mínimos em alguns mercados. Estas perdas estão a alimentar o ecossistema Android.Os números da Kantar mostram uma realidade que começou no início deste ano que está a deixar a Apple cada vez mais longe do topo da tabela de vendas, lugar que está a ser ocupado pela Samsung.source: pplware.sapo.pt

Riffle: A rede do MIT ainda mais anónima que a rede TOR

12 de Julho de 2016 às 09:37
Tor MIT


A segurança e a privacidade na Internet são temas recorrentes nos dias de hoje. Cada vez mais os utilizadores procuram proteger-se e conseguir, de certa forma escapar, às ameaças.A rede Tor é para a maioria uma alternativa de confiança, mas o MIT criou a Riffle, uma rede que garante ainda mais anonimato.

Todos reconhecem na rede Tor uma excelente forma de conseguir navegar na Internet de forma anónima. Mas a verdade é que o passado recente mostrou que esta rede, mesmo sendo segura, tem pontos de falha que levam a que com relativa facilidade um atacante possa conseguir identificar os utilizadores.Os pressupostos de segurança e de anonimato do Tor têm sido consecutivamente anulados e são ja vários os casos em que os utilizadores estiveram expostos.Mas nem tudo são más noticias no que toca à privacidade dos utilizadores. O MIT conseguiu criar uma nova rede, a Riffle, que consegue ser ainda mais segura que o Tor e que garante o anonimato dos utilizadores mesmo que tenha apenas um servidor a funcionar.Como funciona a Riffle?Para que a Riffle consiga manter o anonimato dos utilizadores, usa uma forma diferente de transmitir a informação. Em vez de enviar os pacotes na ordem certa e fazendo-os saltar entre servidores, como o Tor faz, a Riffle assenta numa série de servidores, chamados mixnet, que simplesmente alteram a ordem dos pacotes recebidos antes de os enviarem de novo para a rede.Desta forma um atacante não vai conseguir saber o conteúdo das mensagens pois estas vão estar misturadas e sem a ordem certa e esperada para serem decifradas.Mesmo que um servidor seja comprometido, este tem de realizar a alteração da ordem dos pacotes da forma correcta ou não será reconhecido na rede. Isto porque as chaves públicas vão sendo adicionadas e removidas à medida que passam pelos servidores, garantindo que apenas o servidor de destino consiga aceder à mensagem transmitida.Outras mais valias da Riffle?Outro ponto importante na Riffle é que é extremamente eficiente em termos de largura de banda, recursos e tempo utilizados para realizar os processos de anonimização dos utilizadores. Sendo estas redes assentes em computadores dos utilizadores, importa que estas não ocupem estas máquinas tempo demais.A Riffle ainda não está disponível, mas será apresentada nos próximos dias, numa conferência, onde o modelo e o seu conceito será explicado em detalhe. Poderá demorar ainda alguns anos a ser pública, mas traz na sua base alguns conceitos muito interessantes no campo do anonimato e privacidade, ao mesmo tempo que promete garantir segurança aos utilizadores.source: pplware.sapo.pt