219 347 706 Email Facebook
Windows

Microsoft prepara-se para dar uma nova cara ao Windows 10 na próxima grande atualização

16 de Novembro de 2018 às 09:16

iPhone 7 vai ter câmara dupla e 3GB de RAM?

12 de Maio de 2016 às 09:48
Apple


A alguns meses de aparecer a nova proposta da Apple no campo dos smartphones é hora de começarem a surgir os primeiros rumores e as supostas novidades que este modelo vai integrar.Do que já se fala, relativamente ao iPhone 7, espera-se que este tenha uma câmara dupla e um aumento de RAM, que chegará aos 3GB.

Como é normal nesta altura do ano começam agora a surgir as primeiras previsões e as primeiras especulações do que poderá ser o novo iPhone da Apple. As mais recentes, vindas de Ming-Chi Kuo da KGI, dão conta de mudanças grandes.Algumas das imagens que agora apareceram, referentes aos planos CAD finais, mostram diferenças face aos modelos actuais, mas as principais novidades parecem ir centrar-se no modelo Plus do iPhone 7.O novo iPhone 7O novo iPhone 7 parece não ter muitas diferenças estáticas face ao modelo que está actualmente no mercado. As maiores diferenças vão estar no hardware, que para além do novo processador A9, deverá passar a contar com 3GB de RAM, seguindo o exemplo do ano passado, em que passou de 1GB para 2GB.Este incremento de memória será bem vindo para dar ao iPhone ainda mais agilidade ao nível do processamento, cada vez maior exigido pelas aplicações.Algo que também salta à vista das imagens partilhadas é a esperada eliminação do conector áudio tradicional, passando a existir apenas a porta lightning.O novo iPhone 7 PlusÉ no modelo maior do iPhone que se esperam que surjam as maiores novidades. Para além dos 3GB de RAM que já se falaram antes, este modelo deve passar a contar com uma câmara fotográfica dupla.Para além disso, e segundo as imagens, vai existir um conector (Smart Connector) na zona posterior, que deverá ser usado para ligar alguns acessórios extra, como os que têm sido lançados para os novos iPad.Estes são apenas dos primeiros rumores, se bem que fundamentados com imagens e opiniões de quem já no passado acertou. Nos próximos meses vão surgir mais novidades, obviamente sempre sem a confirmação da Apple. O novo iPhone deverá ser oficialmente lançado em Setembro.source: pplware.sapo.pt

25% dos PCs usam uma versão obsoleta do Internet Explorer

11 de Maio de 2016 às 09:49
Internet

Um dos maiores problemas de segurança no mundo da informática são as máquinas e os softwares que são abandonados sem suporte e sem actualizações.Um novo estudo veio revelar que actualmente um em cada quatro computadores corre uma versão desactualizada e sem suporte do Internet Explorer.

A nova informação resulta de uma análise que a empresa Duo Trusted fez em mais de 2 milhões de computadores e vem mostrar que 25% dos computadores com Windows tem presente uma versão do Internet Explorer que a Microsoft já descontinuou e que por isso deixou de ter suporte.Para além disso, este número dispara para o dobro quando o sistema operativo usado é o Windows XP. Nesses casos, as versões usadas são o IE 7 e 8 em metade das máquinas analisadas.A solução aconselhada para todos esses casos é a utilização de um browser mais moderno, como o Chrome, que tem mecanismos de actualização automáticos e independentes do próprio sistema operativo.Outro valor que salta à vista no relatório da Dou Trusted está associado ao Flash e ao Java, outros softwares que são conhecidos por terem frequentemente problemas de segurança e novas actualizações para os corrigirem.Neste caso os números das versões desactualizadas sobe para valores bem mais altos. São 72% das versões do Java e 60% das versões do Flash.Se as regras mais básicas de segurança podem parecer óbvias, fica claro que não são seguidas e que, em particular nos ambientes empresariais, as máquinas ficam expostas a falhas de segurança e a problemas, apenas por culpa dos utilizadores.source: pplware.sapo.pt

iPhones: Afinal qual o modelo mais rápido?

10 de Maio de 2016 às 09:54
Apple

A questão sobre qual o iPhone mais rápido da actualidade parece ter uma resposta óbvia. Ao longo dos anos estes equipamentos da Apple têm evoluído significativamente ao nível do hardware, o que se traduz também naturalmente numa melhor performance.Os responsáveis do canal do Youtube EverythingApplePro meteram lado a lodo todos os iPhones para saber qual o mais rápido. Tem alguma ideia de qual seja? 
iPhone SE vs 6S Plus vs 6S vs 6 Plus vs 6 vs 5S vs 5C vs 5 vs 4S vs 4 vs 3Gs vs 3G vs 2G… qual o mais rápido? Para responder a esta questão, os responsáveis do canal do Youtube EverythingApplePro colocaram em teste todos estes equipamentos e há alguns resultados que podem ser surpreendentes.O que revelam os resultados aos iPhones?De acordo com os testes, o iPhone SE é o equipamento que arranca mais rápido. O modelo de 4” conseguiu superar o iPhone 6S e iPhone 6S Plus. Relativamente a estes últimos, o iPhone 6S Plus conseguiu iniciar mais rápido que o iPhone 6S.Os benchmarks realizados com o Geekbench revelaram também que o recente iPhone SE é o modelo mais poderoso até à data, tendo recebido uma pontuação de 2550 pontos para o teste com um único core e 4445 pontos para multi-core.  Embora possa parecer surpreendente, o SE foi mais rápido do que o 6s e 6s Plus neste teste, apesar do facto de terem hardware igual pois os processadores A9 e M9 e os 2 GB de RAM estão presentes quer no iPhone SE quer na linha 6s.No teste ao nível dos decibéis, o iPhone SE também liderou o ranking. Já o antigo iPhone 4s ficou na última posição deste teste.Em resumo, o  iPhone SE é actualmente o iPhone mais rápido e mais avançado, embora sem o 3D Touch. Como sabemos este tem um ecrã de 4 polegadas e outras características que podem ser consultadas aqui.
source: pplware.sapo.pt

A Apple procura um espaço para desenvolver o seu carro?

9 de Maio de 2016 às 09:50
Apple

Os rumores de que a Apple está a desenvolver um carro são já antigos. As evidências têm-se acumulado e tudo aponta para que esta seja uma realidade num futuro próximo.Ainda sem qualquer confirmação oficial, surgiu mais uma prova de que vai mesmo existir um carro fabricando pela gigante de Cupertino.

Esta evidência é apenas mais uma no vasto rol de anteriores informações. A Apple parece estar a preparar-se para dentro de alguns anos ter nas estradas um carro com a sua marca e assim abrir ainda mais o leque de produtos que oferece.A confirmação, como é habitual na Apple, não existe e apenas será confirmada no dia em que este carro for apresentado, mas lentamente têm surgido pequenas informações de que este será um projecto real. A mais recente surgiu de uma entrevista de Victor Coleman, chefe executivo da Hudson Pacific Properties Inc., uma empresa de aluguer de terrenos e escritório da área de São Francisco e Silicon Valley."We are seeing a definitive movement in the autonomous car from named companies and non-named companies. So we’re seeing the Toyotas of the world, the Teslas of the world, BMWs, Mercedes, Ford now is out in the marketplace looking for space.And I haven’t even mentioned the 400,000 feet that Google is looking to take down and the 800,000 feet that Apple’s looking to take down for their autonomous cars as well."As declarações foram obtidas pelo Wall Street Journal e revelam que a Apple estará a procurar um espaço de aproximadamente 75 mil metros quadrados para albergar as suas equipas de desenvolvimento, que no ano passado já rondavam as 600 pessoas.Empresas como a Google ou a Ford, entre outras, fazem questão de manter bem visíveis os seus projectos relativos ao desenvolvimento de carros autónomos, mas a Apple tem feito questão de o manter no maior secretismo, aumentando assim a especulação sobre o tema.Do que se sabe até hoje a empresa deverá ter já em desenvolvimento um carro, que se pensa ser eléctrico, e que teria como base o chassi dos actuais BMW i3.Esta pequena prova agora revelada mostra que a Apple está já a procurar estabelecer uma base para criar os seus laboratórios de pesquisa e desenvolvimento, onde o Apple Car tomará forma.source: pplware.sapo.pt

Samsung destronou a Apple no mercado dos smartphones

5 de Maio de 2016 às 09:41
Samsung Apple


A eterna guerra entre a Samsung e a Apple vai muito para além das contendas que decorrem nos tribunais e concentra-se nas vendas de smartphones que estas conseguem mês após mês.Onze meses depois de ter perdido a liderança no mercado de smartphones, nos Estados Unidos, a Samsung volta a recuperar essa posição e é novamente o líder de vendas nesse país.

Os últimos tempos têm sido menos positivos para a Apple. Os seus resultados trimestrais não foram brilhantes, como a empresa de Cupertino nos tinha habituado, apresentando quebras significativas nas vendas, ao contrário do que nos tinha habituado. A Samsung conseguiu manter-se firme e até cresceu nas vendas.Com este cenário, não é por isso estranho ver a Samsung ocupar um lugar que tinha perdido à pouco menos de um ano para a Apple. A presença dos novos Galaxy S7 e S7 edge ajudou a que esta posição fosse conquistada. Do lado da Apple os números do novo iPhone 5SE não foram ainda contabilizados, mas sabe-se no entanto que quando o forem não vão ter a capacidade de alterar estes resultados.Os números, vindos da Counterpoint Research, atribuem à Samsung a primeira posição do mercado norte americano com 28,8%, ao passo que a Apple se fica pelo segundo lugar com 23% da quota de mercado.
O lugar seguinte é ocupado por uma marca que não era esperada. A LG conseguiu ganhar esta terceira posição no mercado, com valores bem perto dos 18%. Esta fatia de mercado da LG, será ainda mais significativa no próximo mês uma vez que as vendas do novo LG G5 não foram ainda contabilizadas.Os fabricantes chineses não conseguiram ainda ter uma expressão forte neste mercado. O caso da Huawei, que tem ainda apenas 1% de quota de mercado ilustra bem as diferenças face a outros mercados. A ZTE e a Alcatel estão mais bem colocadas no ranking, com as 4ª e 5ª posições da tabela com 6,6% e 4,5% respectivamente.O mercado norte americano é muito específico e os seus consumidores muito particulares, mas não deixa de ser representativa a perda da liderança da Apple e o assumir do topo pela Samsung.source: pplware.sapo.pt

O WhatsApp já está está de novo a funcionar no Brasil

4 de Maio de 2016 às 09:42
WhatsApp


Depois de ter visto o seu serviço bloqueado no Brasil, por um período que seria de 72 horas, o WhatsApp foi novamente disponibilizado e estará já disponível para todos.Desta vez o bloqueio durou apenas algumas horas, e mais uma vez foi levantado com um pedido da empresa. A justiça acabou por dar o dito pelo não dito!

Foram apenas necessárias 12 horas para que o bloqueio ao WhatsApp fosse levantado, trazendo de volta o serviço de mensagens pertencente ao Facebook de volta para todos os que o usam no Brasil.O WhatsApp teve de apresentar dois recursos para que a justiça brasileira tomasse a decisão de levantar o bloqueio que tinha obrigado as operadoras a aplicar. A justificação usada para que este bloqueio fosse aceite baseou-se no princípio da equitatividade e no facto de não estar a ser respeitada. Eram 100 milhões de utilizadores que estariam privados do serviço quando apenas alguns estão a ser investigados.A ordem de desbloqueio foi de imediato transmitida às operadoras, que de imediato passaram a permitir a utilização do WhatsApp nas suas redes.A origem deste caso contra o WhatsAppEste caso resulta ainda da ordem inicial de informação que a justiça brasileira entregou ao WhatsApp e que quer conseguir o acesso a informação trocada entre vários réus de um processo de tráfico de droga. A empresa alega que não tem forma de aceder a esses dados e que por isso não os pode fornecer.Depois de em Dezembro do ano passado ter acontecido uma situação semelhante e de até um responsável do Facebook ter sido preso por algumas horas, volta a acontecer o bloqueio e a respectiva ordem contrária. O caso volta a não ficar resolvido e de futuro vão com certeza acontecer novas situações semelhantes.source: pplware.sapo.pt

WhatsApp volta a ser bloqueado no Brasil

3 de Maio de 2016 às 10:06
WhatsApp


Depois do caso que aconteceu em Dezembro do ano passado, um tribunal brasileiro volta a obrigar o WhatsApp a estar desligado. Desta vez vão ser 72 horas em que o serviço vai estar inacessível.A ordem do juiz voltou a incidir sobre o caso que deu início a estes cortes obrigatórios e esta medida espera levar a empresa a dar acesso aos dados solicitados.

Esta medida foi anunciada no passado dia 26 de Abril e impunha às operadoras brasileiras o bloqueio de todas as comunicações deste serviço. O início foi marcado para as 14 horas locais e terá a duração de 72 horas.O bloqueio agora aplicado quer dar continuidade às medidas iniciadas antes e que querem obrigar o WhatsApp a dar acesso a um conjunto de informação sobre um utilizador que está a ser investigado num caso de tráfico de droga.Já antes a justiça brasileira quis resolver este caso e chegou a prender um dos responsáveis do Facebook no país, por esta empresa ser dona do WhatsApp.Desde o início do caso que o WhatsApp se defende que não pode fazer nada para ajudar a justiça brasileira e que não tem forma de poder dar acesso à informação. As mensagens circulam de forma cifrada dentro da sua rede e a empresa não tem acesso às chaves de cifra que são usadas.As operadoras que não cumprirem este bloqueio podem incorrer numa multa diária que pode ir até 500 mil reais (aproximadamente 124 mil euros).Se em Dezembro o WhatsApp conseguiu obter uma ordem para reestabelecer os seus serviços em 24 horas, desta vez é pouco provável que o consigam. Ao todo vão ser mais de 100 milhões de utilizadores que vão ficar privados deste serviço nos próximos 3 dias.source: pplware.sapo.pt

O Windows 10 já tem quase 15% de quota de mercado

2 de Maio de 2016 às 09:41
Microsoft


Desde que foi lançado, em Junho do ano passado, que o Windows 10 tem procurado implantar-se como o sistema operativo de referência. A Microsoft tem aplicado melhorias constantes, mas esse passo está ainda longe de ser conseguido.Os dados referentes ao mês que agora terminou mostram que o Windows 10 cresceu muito, mas ainda tem muito que conseguir. Ainda só tem 14,35% de quota de mercado.

Todos os meses os dados têm mostrado que o Windows 10 está a crescer na utilização e que é cada vez mais a escolha dos utilizadores. De forma firme, tem aumentado a sua quota e é actualmente o segundo sistema mais usado.Com 14,35% de quota de mercado a versão mais recente do Windows tem ainda muito pela frente para conseguir chegar perto do Window 7, que sozinho tem quase metade da quota do mercado – 48,79%.Windows (todas as versões combinadas): 89,23%Windows 7: 48,79%Windows 10: 14,35%Windows XP: 9,66%Windows 8.1: 9,16%;Windows 8: 2,95%Mac OS X: 9,2%Linux (todas as distribuições combinadas): 1,56%Todo o crescimento que o Windows 10 conseguiu neste período, e que foi apenas de 0,2%, se deveu ao que foi possível conquistar aos outros sistemas. Só o Windows 7 desceu dos 51.89% para os actuais 48,79%, o que dá um espaço de crescimento grande para a nova versão do Windows.Com uma meta de mil milhões de dispositivos a correr o Windows 10 em três anos, é altura deste sistema operativo começar a ganhar ritmo de crescimento.Os últimos números oficiais da Microsoft indicavam que eram já mais de 270 milhões os PCs a correr esta versão e a chegada do Windows 10 Mobile vai fazer crescer ainda mais este número. A meta da Microsoft é ambiciosa e prepara-se para ser cumprida.source: pplware.sapo.pt

Actualização do Windows 10 “aparece” em programa de TV

29 de Abril de 2016 às 10:05
Notícias Microsoft


Desde que foi lançado, o Windows 10 tem recebido várias actualizações que corrigem falhas do sistema mas que trazem também novas funcionalidades.Por norma o utilizador é notificado de que existem actualizações para fazer, algo que é normal em todos os sistemas. O problema é quando um sistema que tem Windows 7 ou 8, e que pertence a uma estação de televisão, decide, em plena emissão, apresentar um alerta para actualização para o Windows 10.
Se fosse no PC de qualquer utilizador, em casa ou até mesmo no trabalho, seria certamente considerada uma acção normal. No entanto aparecer uma actualização do Windows em plena emissão de TV em directo é, sem dúvida, caso para notícia (apesar de ser também uma algo natural que até foi levado na brincadeira).O caso aconteceu no programa americano KCCI enquanto a apresentadora Metinka Slater mostrava o estado do tempo. Ao virar-se para o ecrã, a apresentadora foi surpreendida com uma janela de uma actualização do Windows 10.Veja como tudo aconteceuSituações como esta, em que o Windows decide apresentar um alerta ou um BSOD, são bastante frequentes. Terminais de aeroportos, terminais de repartições de finanças, muppies, ATMs, são alguns dos exemplos onde é comum ver situações deste tipo.source: pplware.sapo.pt

CEO da LeEco diz que Apple está “desactualizada”

28 de Abril de 2016 às 09:49
LeEco Apple

Entrou no mercado mais um fabricante que promete revolucionar o mundo da tecnologia. Na recente apresentação da sua linha de produtos, a LeEco mostrou um pouco de tudo, desde smartphones, SmartBikes até ao concorrente da Tesla, um carro eléctrico que ameaça destronar a famosa marca americana de Elon Musk.Nas mais recentes declarações à cadeia de TV CNBC, o multimilionário Jia Yueting, CEO da empresa, declarou que a Apple perdeu a sua força na China e está desactualizada.
Jia Yueting é chefe executivo e presidente do grupo chinês LeEco (anteriormente LeTV), marca mais conhecida por ser o “Netflix da China”. Esta empresa tem uma gama de produtos que inclui smartphones,TVs, bicicletas de montanha e, mais recentemente, os veículos eléctricos.Na semana passada, a LeEco lançou o seu super carro inteligente com auto-condução, o LeSEE. Este é um produto que vai entrar em concorrência directa com o famoso Tesla Model X. Mas o ponto fundamental é que a marca está a lançar produtos para serem meio de propagação de conteúdo, onde a marca é muito forte.Nesta evolução do ecossistema LeEco, Jia espera vender conteúdos como filmes, programas de TV e música, até aos proprietários dos automóveis. Num evento para jovens líderes empresariais, promovido pela China Entrepreneur Club, Jia, de 43 anos, explicou que os rivais estrangeiros não o preocupam. Em particular, referiu que a Apple não lhe causa qualquer preocupação, mesmo sabendo que a gigante norte-americana está a expandir o seu ecossistema para o mercado dos automóveis eléctricos e autónomos.Pensamos que a diferença entre nós e a Apple é muito grande. A Apple é uma empresa de telemóveis focada no hardware e software, a LeShi [outro nome da LeEco] está focada primeiro na Internet, depois no software e finalmente no hardware.Referiu Jia no evento esta semana em Jinan.Mas o empresário chinês vai mais longe no que toca à comparação da Apple com a sua empresa, dizendo mesmo que o design dos produtos da Apple é obsoleto."A Apple tem apenas aplicações individuais. Esta foi a escolha certa durante a primeira geração da rede móvel, quando o CPU e as velocidades da rede móvel não eram suficientemente rápidas. No entanto, agora estamos a mover-nos para a próxima era da Internet móvel, estes problemas já não existem mais. Além disso, ter aplicações separadas apenas significa grandes obstáculos na experiência do utilizador. Esperamos quebrar esses obstáculos."O CEO da empresa chinesa vê também que as vendas da Apple na China estão a deteriorar-se e há uma razão para essa perda de mercado.Segundo o empresário, a Apple é extremamente lenta no que toca a inovação. Um exemplo disso é o lançamento do iPhone SE. Este iPhone nada trouxe de inovador ao mercado e, se a ideia seria conquistar mercados emergentes, o preço não é convidativo, contudo, se a Apple diminuísse ao preço deste iPhone, as pessoas depressa deixariam de adquirir os topo de gama e a Apple perderia margem nestes equipamentos. É um equilíbrio complicado, mas nota-se que a empresa está a necessitar de um rumo novo, como foi visto com os resultados do segundo trimestre fiscal de 2016. Duas frentes para conquistarJia, que começou como um trabalhador de suporte técnico antes de construir a sua própria empresa de smartphones e uma fortuna estimada em cerca de 4,8 mil milhões de dólares, não é tímido quando se trata de assumir liderança da indústria. No lançamento do LeSee, disse à Reuters que, quando a Tesla era considerada uma “grande empresa”, ele “não tinha só a construção de um carro”. Este é um projecto que eleva o conceito de automóvel a dispositivo móvel inteligente de transporte e com a sua atitude e perseverança, referiu que espera superar a Tesla e liderar esta indústria também.Pelas suas palavras nota-se que tem dois focos bem presentes: bater a Apple no segmento dos dispositivos móveis e a Tesla nos automóveis eléctricos e autónomos.source: pplware.sapo.pt