219 347 706 Email Facebook
Windows

Microsoft prepara-se para dar uma nova cara ao Windows 10 na próxima grande atualização

16 de Novembro de 2018 às 09:16

Whatsapp: 6 novidades que nem todos conhecem!

30 de Março de 2016 às 09:44
Whatsapp Facebook


O Whatsapp tem vindo a crescer de forma considerável, principalmente após ter sido comprada pela rede social Facebook. A cada actualização, esta app recebe novidades mas nem todas são conhecidas por todos os utilizadores.Vamos então conhecer 6 novidades desta aplicação de mensagens?

Para quem ainda não está actualizado, o Whatsapp passou a ser totalmente gratuito. Por esta razão, muitos são os novos utilizadores da aplicação e muitos são os que não têm conhecimento das novidades que chegaram.#1. Edição, Zoom e Visualização de VídeosA partilha de vídeos e fotos já se tornou bastante usual nesta aplicação, no entanto chegou uma actualização que nos permite melhorar esta utilização.É agora possível ter algumas funções que já existiam para as imagens, mas agora aplicadas aos vídeos. Poderá assim editar um vídeo recebido, bem como fazer zoom na visualização do mesmo e ainda poderá aceder ao vídeo através de uma janela pop-up. Uma das funções que, com toda a certeza, mais irá utilizar é mesmo a edição. Pode então receber um vídeo e reencaminhar após fazer alguns ajustes como a alteração do tamanho.#2. Partilha de FicheirosEsta é uma das utilizações que os utilizadores que trabalham no telemóvel poderão achar mais interessante. A partir de agora poderá receber aquele email importante e reencaminhar o ficheiro PDF através da aplicação Whatsapp. Mas não são só os ficheiros PDF, praticamente todos os ficheiros poderão agora ser encaminhados através de um simples clique.Nas últimas actualizações, a partilha através da Cloud também ficou bastante facilitada. #3. Partilha de ficheiros na CloudPraticamente todos os utilizadores das novas tecnologias têm algum serviço de Cloud. Quer seja simplesmente o backup do seu smartphone ou seja um serviço específico como Dropbox, ou outros, acabamos por querer partilhar dados que estão guardados na Cloud.De forma a facilitar, o Whatsapp permite agora esta função. Poderá partilhar de forma rápida e eficiente um ficheiro que tenha guardado na sua nuvem de dados. #4. Links e Documentação OrdenadosTalvez não seja a função favorita de quem utiliza o Whatsapp de forma esporádica, mas esta poupará imenso trabalho a quem troca informações de forma regular por esta via.Ao invés que percorrer toda a conversa para encontrar aquele site que lhe enviaram, poderá simplesmente aceder ao separador onde apenas terá acesso aos links partilhados. Para aceder a este menu bastará seleccionar os 3 pontos no canto superior direito do seu ecrã e escolher “Ficheiros”. #5. Apagar conversasA novidade não é propriamente a limpeza das conversas mas sim a possibilidade de manter as mensagens que seleccionar com a famosa estrela. Assim, poderá manter algumas mensagens que possam ser importantes para si antes de apagar toda a conversação.No entanto, lembramos que tem algumas opções disponíveis para que em caso de necessidade de apagar todas as conversas as possa manter. Dados o exemplo do envio para o email ou o backup automático. #6. Definições de download de ficheirosQuantas vezes já aconteceu chegar a meu do mês do seu tarifário e já não ter qualquer réstia deplafond disponível para usufruir das aplicações que necessitam de Internet? Por vezes o que acontece é que quando ligamos a Internet móvel, as aplicações começam a usufruir da ligação sem que nos apercebamos. Para evitar os altos consumos, poderemos seleccionar tudo o que pretendemos receber via WiFi, emroaming ou via Internet móvel.Desta forma existirá um maior controlo na utilização dos nossos dados e poderemos escolher o que queremos ou não receber em determinados tipos de ligação. Estas são algumas funções que os utilizadores agradecem pois ajudarão não apenas a uma utilização mais eficaz desta aplicação mas também ao usufruto de melhores condições de utilização.

Como resolver o bug que afecta o iOS 9.3

29 de Março de 2016 às 11:26
Apple


O novo iOS 9.3 já está disponível para todos, mas com alguns problemas bem conhecidos. Se a Apple se apressou a resolver o mais importante, deixou ainda por resolver o que bloqueia a utilização de links.Não havendo qualquer resolução oficial, começam a surgir truques já bem testados e que se confirmam que funcionam. Vejam como corrigir o problema do bloqueio dos links no iOS 9.3.


O bug dos links no iPhone e no iPad está bem identificado e a atingir muitos dos que instalaram o iOS 9.3. Não tem uma solução dada pela Apple, mas consegue-se contornar de uma forma simples.É mais que certo que nos próximos dias surja uma nova versão deste sistemas operativo, mas até lá resta-lhe apenas seguir as indicações que damos abaixoComo resolver o bug do iOS 9.3A dica que mais vezes está a ser aconselhada aos utilizadores do iOS 9.3, que têm este problema, é muito simples de aplicar e em poucos segundos pode ser activada.Tudo parece ficar resolvido se os utilizadores desactivarem o Javascript no Safari, deixando assim de ter presente o irritante bug que está a afectar o iPhone e o iPad.No iPhone ou no iPad acedam às Definições e escolham a opção Safari.Aí devem procurar, no final, a opção AvançadasNesta janela só precisam de desactivar a opção JavaScriptInfelizmente esta não é uma forma de resolver todas as questões que este bug está a trazer, deixando de fora o problema com as aplicações, que ainda se vão manter impossibilitadas de usar links externos. Ainda assim é uma solução que consegue deixar o Safari novamente funcional e a abrir links quando estes são clicados.A resolução chegará numa nova actualização do iOS 9.3, mas até lá esta é a forma de evitarem parte deste bug. Só não se esqueçam de tornar novamente o JavaScript activo quando esta actualização chegar!.source: pplware.sapo.pt

Estudo: Há crianças a partilhar imagens íntimas nas redes sociais

29 de Março de 2016 às 11:26
Notícias


Não é novidade para ninguém que, nos dias de hoje, praticamente todas as crianças e jovens têm o seu próprio smartphone e, muitas vezes, não existe um controlo parental sobre aquilo a que podem aceder.Por ainda serem menores, as crianças não têm por vezes consciência das consequências dos seus actos e, a fortalecer essa teoria, um recente estudo revelou a realidade preocupante de que há crianças a partilhar imagens suas íntimas nas redes sociais.

Um estudo britânico está a alertar pais e professores, uma vez que conclui que algumas crianças, muitas delas bem pequenas, com apenas 7 anos de idade, partilham imagens suas íntimas como resposta a ameaças de colegas. Trata-se de uma forma de bullying utilizando o chamado ‘sexting’ que significa a troca de mensagens e imagens com conteúdo íntimo e erótico nas redes sociais.O estudo foi desenvolvido pela NASUWT, um dos maiores sindicatos de professores do Reino Unido, e contou com o inquérito a mais de 1.300 professores britânicos.Na passada sexta-feira os resultados foram divulgados pelo jornal “The Times”, e estes revelam uma realidade preocupante: há alunos da escola primária e do 2º e 3º ciclo que frequentemente utilizam as redes sociais como forma de chantagear colegas e levá-los a enviarem conteúdos íntimos.Um exemplo concreto e chocante revela que uma adolescente de 14 anos terá persuadido uma criança menor para que esta mostrasse as suas partes íntimas. A criança partilhou a imagem, e esta acabou por circular pelas redes sociais.Mais de metade dos professores entrevistados reconhece que este género de partilha é uma constante entre os jovens.Outro caso revela que uma menina foi aliciada por colegas, através das redes sociais, para enviar imagens íntimas através do Snapchat, uma app que ganhou fama entre os jovens e se caracteriza por eliminar automaticamente os conteúdos. No entanto, neste caso em concreto, um dos alunos guardou uma dessas imagens e partilhou-a pelos outros colegas.O estudo concluiu ainda que a maioria das crianças que partilha este género de conteúdos, através dos seus smartphones, tablets e computadores, tem entre 13 e 16 anos. No entanto, também se verificou que alguns alunos que trocam estas imagens sexuais frequentam apenas a escola primária.Desta forma, e segundo o The Times, estes resultados vêm pressionar ainda mais o governo britânico para a pertinência de haver aulas obrigatórias sobre educação social, nomeadamante com o ensino sobre a segurança na Internet.source: pplware.sapo.pt

Bug do iOS 9.3 congela iPhone ao clicar num simples link

28 de Março de 2016 às 12:15
Apple


A chegada do iOS 9.3 veio trazer algumas medidas de segurança que faltavam a este sistema operativo. São pormenores que melhoraram a segurança dos dados, que já é elevada.Mas parece que o iOS 9.3 trouxe vários presentes envenenados aos seus utilizadores. O mais recente está a levar os utilizadores a níveis elevados de stress ao bloquear com um longo clique num link.

São já vários os problema que têm surgido com esta nova versão do iOS. Os utilizadores do iPad 2 tiveram sérios problemas assim que este foi lançado, com os seus tablets a bloquearem e a não arrancarem.Mas se a Apple depressa resolveu este problema, um novo está a ser reportado desde há vários dias. O iOS 9.3 no iPhone 6S e 6S Plus está a bloquear sempre que se tentam abrir links dentro de aplicações. Não há um padrão identificado pois existem relatos de diferentes comportamentos.Muitos dos que se queixaram nos fóruns da Apple reportaram que os seus equipamentos bloqueiam sempre que clicam num link. Há outros que indicam que ao clicar num link o comportamento das aplicações é simplesmente ignorar esse pedido, não abrindo as páginas. Por fim existem utilizadores que se queixam que ao clicar num link as aplicações simplesmente fecham sem qualquer indicação de erro.Este problema não parece ser exclusivo do iPhone 6S e 6S Plus, com muitos dos utilizadores a indicarem que também pode ser detectado no iPad Air 2. É também provável que se estenda a outros equipamentos. O denominador comum até agora é a presença do iOS 9.3, que parece ser a fonte do problema.Não há qualquer indicação da Apple sobre o problema ou a forma de o resolver. Vários utilizadores indicaram que a resposta oficial da Apple às suas queixas foi que ainda não existia solução, ao passo que outros disseram que receberam indicações de que no início desta semana a solução seria lançada.A verdade é que são problemas a mais para uma versão do iOS. A Apple passou este iOS 9.3 pelos testes habituais, quer os privados quer os públicos, mas aparentemente esta falha não foi detectada.source: pplware.sapo.pt

Já se sabe quem vai ajudar o FBI a quebrar a segurança do iPhone

24 de Março de 2016 às 10:04
Apple FBI


A saga da luta da Apple contra o FBI e o Departamento de Justiça Norte Americano parece estar a chegar a um ponto de viragem. Depois de toda a insistência que foi feita pela justiça, parece que surgiu agora uma solução.Uma entidade, que se julga saber quem é, veio dar garantias ao FBI que conseguirá aceder aos dados o iPhone do atirador de San Bernardino. Mas quem é esta entidade que vai ajudar o FBI?

Esta dúvida está na cabeça de todos desde que o FBI anunciou que recebeu informações de que haveria quem fosse capaz de contornar as medidas de segurança da Apple. Se desde sempre a Apple se gabou da sua segurança e dos seus dispositivos, parecia impossível que qualquer entidade fosse capaz de as contornar.Mas o secretismo desta operação, e a consequente quebra das medidas de protecção do iPhone 5C, pode ter sido agora exposto e o nome da empresa que será usada pelo FBI veio a público. Segundo o jornal Yedioth Ahronoth, a entidade que vai tentar realizar esta proeza é a empresa Cellebrite.Esta é uma empresa israelita que se dedica a conseguir obter informações deste género em dispositivos móveis, recorrendo ao seu software forense. É considerada uma das empresas mais capazes no ramo da recuperação de dados, recorrendo às suas técnicas forenses, trabalhando com as principais forças governamentais, policiais e militares.Caso a Cellebrite consiga aceder aos dados que estão no iPhone que o FBI quer desbloquear, o processo que decorre nos tribunais norte americanos pode terminar de imediato, não necessitando mais o FBI da ajuda da Apple.Desde que o FBI anunciou, na passada segunda-feira, que necessitava de algum tempo para explorar uma nova via proposta por uma entidade terceira, que o processo que está a decorrer no tribunal foi colocado em pausa. O FBI tem até dia 6 de Abril para dar novas informações ao tribunal, para que este decida se o processo avança ou se por outro lado é terminado de imediato.Caso a Cellebrite tenha sucesso, esta poderá ser a forma mais simples para que ambas as entidades terminem esta guerra. A Apple consegue garantir que não tem de criar os mecanismos de acesso que foram pedidos e o FBI tem acesso à informação pretendida.source: pplware.sapo.pt

iOS 9.3 – Já experimentou as novidades para iPhone/iPad?

24 de Março de 2016 às 10:04
Apple IOS


No mesmo dia em que a Apple apresentou o novo iPhone SE, o novo iPad Pro entre outras novidades, a empresa de Cupertino disponibilizou também o novo iOS 9.3. Esta nova versão do iOS traz algumas novidades interessantes das quais se destacam a “nova” funcionalidade Night Shift e também a possibilidade de proteger notas com palavras-chave.Saiba como usar as novas funcionalidades e conheça outras que estão igualmente disponíveis.
De acordo com as informações da Apple, o novo iOS 9.3 é compatível com o iPhone 4S e versões superiores, iPad 2 e versões superiores, iPad Pro e a quinta-geração do iPod touch. Esta versão traz algumas novidades que apresentamos de seguida. Night ShiftTal como o nome sugere, o modo Night Shift permite que o ecrã mude automaticamente as cores para tons menos frios do espectro cromático, permitindo-lhe dormir melhor depois de estar a usar o dispositivo.Para activar tal funcionalidade basta ir a Definições > Ecrã e Brilho. Em seguida basta carregar em Night Shift passando o utilizador a dispor de várias opções de configuração como por exemplo definir/agendar o período em que este modo deve estar activado, definir a temperatura da cor, etc.O Night Shift pode também ser ligado/desligado via Central de Controlo.  Definir Palavra-passe nas NotasPara activar a possibilidade de ter uma Palavra-passe nas notas basta ir a Definições > Notas e depois carregar em Palavra-passe.Aí devem definir uma Palavra-passe e também, caso o vosso equipamento suporte, activar o uso de impressão digital, como método de autenticação para ver as notas protegidas.Depois basta abrir a app Notas, criar uma nova Nota e proteger a mesma.Com este nível de protecção, os utilizadores passam a poder guardar informação mais sensível no seu próprio dispositivo. Outras novidadesAlém destas duas novidades, o iOS 9.3 disponibiliza também mais atalhos em apps  (Meteorologia, Bússola, App Store, iTunes Store e Saúde ) quando usado o 3D Touch. A app News traz também melhorias e algumas apps direccionadas para a educação, como por exemplo a “Classroom” e “Apple School Manager” (isto só no iPad), ganharam suporte para múltiplos utilizadores.A app Saúde traz também algumas melhorias passando agora a ter uma organização da informação mais ajustada. As categorias presentes na app Saúde passam também a sugerir apps de fitness para o efeito. Ao nível das Live Photos, os utilizadores podem agora retirar o efeito sem perder qualidade.source: pplware.sapo.pt

10 sinais que indicam que está viciado no Facebook

23 de Março de 2016 às 09:51
Facebook


O Facebook é a rede social mais popular e com o maior número de utilizadores no Mundo, tem sido a principal via de comunicação entre as pessoas, permitindo estarmos mais perto de quem gostamos, conhecer pessoas, receber notícias actualizadas, partilhar conteúdos com os outros, etc.Mas, como tudo na vida, há que ter moderação e, assim, deixámos aqui 10 sinais que indicam que está viciado no Facebook!

Confira os seguintes comportamentos e verifique se se identifica a si, ou a alguém, com alguns:1. É a primeira coisa que vê de manhã e a última que vê de noitePense lá bem… de manhã, pega no seu smartphone ou tablet e qual é a primeira aplicação em que clica? E antes de dormir? Se a resposta for ‘o Facebook’ é porque se trata de algo significativo e poderá ser um indicador a ter em atenção.2. Antes de fotografar algo, já está a pensar como a vai colocar no FacebookEste sentimento é-lhe familiar? Está com amigos, fotografa a refeição, uma selfie em conjunto e pensa logo como a vai colocar, os efeitos que ficam melhor, a descrição que causará mais impacto, etc. Identifica-se?3. Usa frequentemente expressões como “Vai já para o Facebook”A palavra “Facebook” passou a estar no nosso vocábulo diário, sobretudo entre os jovens. Decerto que já ouviram alguém utilizar expressões como “Isto vai já para o Facebook” ou “Mete no Face”. Utiliza recorrentemente estas expressões?4. Fica chateado se alguém não faz ‘like’ ou não comenta as suas coisas ou se o elimina dos amigosMuitas pessoas colocam conteúdos com a intenção de conseguir likes e comentários, ou seja, traduzindo, como forma de obter algum reconhecimento de terceiros.Mas há quem chegue ao extremo de ficar chateado quando alguém em específico não lhe dá esse prazer, ou seja, ‘ignora’ a sua publicação e não coloca like nem faz qualquer comentário. O mesmo acontece quando descobre que alguém o eliminou dos amigos (a não ser que se trate de alguém com laços emocionais fortes, pois aí é mesmo caso para preocupação). Já lhe aconteceu?5. Verifica o Facebook de 5 em 5 minutos e isso acalma-oSempre que alguém o vê, está com o smartphone na mão a verificar as actualizações e publicações que os seus amigos fazem no Facebook. Guarda o dispositivo mas, pouco tempo depois, volta a aceder ao Facebook, como se necessitasse de estar sempre ligado a visualizar os conteúdos. Se esse hábito o deixa calmo, o mais provável é que esteja a desenvolver alguma dependência.6. Fala através do Messenger com pessoas que até estão por pertoParece bizarro mas sim acontece, mais frequentemente do que se imagina. Alguém está perto de si ou numa outra divisão mas relativamente perto e, em vez de ir ter com a pessoa e comunicar com ela, abre o Facebook Messenger para o efeito, como se essa via substituísse a via ‘natural’.7. Fica ansioso quando passa algum tempo sem poder aceder ao FacebookImagine-se sem poder aceder ao Facebook durante um dia inteiro ou até dois. Nada melhor que fazer esse exercício para verificar como é que o seu corpo reage e se apresenta sintomas de ansiedade como agitação, nervosismo, inquietação. Faça o teste!8. Nem nas refeições larga o FacebookRepense o seu comportamento. Costuma estar à mesa, mesmo em família ou com amigos, e o smartphone passa um tempo significativo com o Facebook aberto? Para além de não ser um comportamento educado, é também um sinal de que o Facebook é significativamente importante para si, e pensa primeiro em aceder à rede social, antes de pensar na pragmática que deve ter socialmente.9. Faz do Facebook um diárioLiteralmente tudo vai para o Facebook… desde a hora a que acorda, como está o tempo, o que vai vestir, o que fez para o almoço, em que restaurante se encontra e com quem, questões existenciais, como se está a sentir apenas porque começou a chover, as compras que fez, o que está a pensar ler, que filme vai ver, etc. Já para não falar da ‘lavagem de roupa suja’ em público que muitas vezes é feita.Tratam-se de comportamentos a ter atenção pois podemos estar a ver o Facebook não só como uma forma fácil de comunicação, mas sobretudo como a principal via de comunicação.10. Pede opinião sobre coisas supérfluasNo seguimento do comportamento anterior, vem este de pedir opinião aos amigos do Facebook sobre coisas supérfluas tais como “Corto o cabelo?”; “O que faço para o jantar?” ou “Fico bem nesta roupa?”.Para além de serem questões cujo interesse para a comunidade do Facebook é mínima, também demonstra uma carência e necessidade da opinião de terceiros como forma de dar seguimento e orientação às suas rotinas o que, resumindo, revela fraco poder de tomada de decisão e insegurança em relação a si, características comuns de ansiedade e dependência.Identifica-se ou conhece alguém que apresente estes comportamentos?source: pplware.sapo.pt

FBI já não precisa da Apple para desbloquear iPhone

22 de Março de 2016 às 09:57
Apple FBI


A guerra da Apple com o FBI poderá ter terminado. Depois de várias frentes e de trocas de acusações, a obrigação de ajudar o Departamento de Justiça e o FBI deixou de ser imposta à Apple.Não se sabe ainda como, mas o FBI garante que tem uma forma de aceder aos dados do iPhone 5C do atirador de San Bernardino.

A notícia surgiu há poucas horas e foi dada pelo próprio tribunal que estava a julgar o caso que opunha o FBI à Apple e que levaria a empresa a ter de encontrar uma forma de dar acesso aos dados de um iPhone 5C que está na posse das forças policiais.O FBI entregou um pedido de anulação de uma das audiências, alegando que teve acesso a uma forma de desbloquear o equipamento e assim aceder aos dados que nele estão guardados. O tribunal aceitou o pedido e suspendeu o julgamento, até que tenha informações do FBI sobre o sucesso desta acção.On Sunday, March 20, 2016, an outside party demonstrated to the FBI a possible method for unlocking Farook’s iPhone. Testing is required to determine whether it is a viable method that will not compromise data on Farook’s iPhone. If the method is viable, it should eliminate the need for the assistance from Apple Inc. (“Apple”) set forth in the All Writs Act Order in this case.Não ficou claro de que forma irá ser realizado este desbloqueio e nem qual a entidade que o garante conseguir fazer. Este método irá ser testado antes de ser aplicado, para garantir que é seguro e que não irá levar ao bloqueio permanente do iPhone 5C e à consequente perda dos dados.A posição da AppleDesde que se soube da novidade que se fala da forma como a Apple irá reagir. Em declarações prestadas pelos advogados da Apple ficou claro que a empresa presente não sabe quem é a entidade responsável por esta forma de acesso e nem como a mesma irá ser explorada.Fez também questão de alertar que irá insistir em saber de que forma o equipamento irá ser desbloqueado caso o FBI e o Departamento de Justiça insistirem em manter este caso em aberto, como se saber ser pretendido.Esta poderá ser a forma mais simples de resolver este caso. Com a entrada em cena desta terceira entidade tanto o FBI como a Apple conseguem ficar satisfeitos e com os seus problemas resolvidos. Por um lado o FBI tem acesso aos dados do iPhone e por outro a Apple mantêm o seu iPhone inviolado.source: pplware.sapo.pt

Já está disponível o novo iOS 9.3

22 de Março de 2016 às 09:57
Apple


Tal como foi anunciado hoje pela Apple, o novo iOS 9.3 ia estar disponível a partir de hoje disponível para iPhone, iPad e iPod touch. A Apple acabou de disponibilizar há momentos esta nova versão que traz actualizações em algumas aplicações e também a “nova” funcionalidade Night Shift.
Esta actualização traz ao iPhone, iPad e iPod touch melhorias nas aplicações Notas, News e Saúde, e em Apple Music.Night Shift é outra novidade desta actualização que pode até ajudar a dormir melhor mudando, à noite, as cores do ecrã para os tons menos frios do espectro cromático.Relativamente a app Notas, esta passa agora a ter protecção de informação por password. Mas esta versão não se fica por aqui. Há várias correcções que ao longo dos últimos tempos foram programadas para esta versão. Algumas foram saindo nas versões beta outras ficaram guardadas para a versão final.Além destas novidades mais sonantes, a Apple incluiu também mais atalhos 3D Touch nalgumas aplicações. Fica a dica para descobrir mais novidades.source: pplware.sapo.pt

Caminhar enquanto escreve mensagens poderá vir a dar prisão

21 de Março de 2016 às 09:34
Notícias


Actualmente, um dos hábitos que se vê habitualmente pelas ruas, são pessoas de olhos postos nos seus smartphones. Possivelmente até já assistiu a alguma cena cómica ou até grave provocada pela falta de visão do percurso enquanto alguém caminhava a escrever uma mensagem ou a ver as redes sociais.Mas esta imagem pode vir a mudar, pelo menos no estado de Nova Jérsia, nos Estados Unidos, onde uma deputada pretende que esta situação seja legislada e criminalizada.
O número de acidentes relacionados com peões distraídos por culpa dos smartphones aumentou 35% desde 2010, nos Estados Unidos. Tendo em conta este número avançado pela CBS, Pamela Lampitt, uma deputada estadual de Nova Jérsia, avançou com uma proposta de lei, agora sujeita a aprovação, para que a escrita de mensagens enquanto se caminha venha a ser criminalizada.A pena prevista para estes casos poderá ir de 50 dólares a 15 dias de prisão, dependo do risco provocado pela distracção com o telemóvel.Se uma pessoa na estrada, quer esteja a andar ou conduzir, for um risco para os outros, deve haver uma lei dissuasora e que puna o comportamento de risco.Referiu a deputada Pamela Lampitt.Atravessar a rua sem olhar para os lados, atravessar a passadeira com sinal vermelho para peões, quedas nos passeios, quedas nas linhas do metro ou até em lagos, são algumas das ocorrências que acontecem com cada vez mais frequência e, quando isso coloca em perigo a segurança e até a vida de terceiros deve haver uma responsabilização.via GIPHYAlém dos números avançados pelas CBS, a NBC refere que o número de feridos resultantes da distracção ao telemóvel registados entre 2000 e 2011 foi acima dos 11.100 casos e que estas pessoas, na sua grande maioria (cerca de 80%) tinham menos de 40 anos.