219 347 706 Email Facebook
Windows

Microsoft prepara-se para dar uma nova cara ao Windows 10 na próxima grande atualização

16 de Novembro de 2018 às 09:16

Android Pay: Google insiste no dinheiro eletrónico

11 de Setembro de 2015 às 10:51
Android Google Wallet


Com o lançamento da app Android Pay, a Google procedeu ao reposicionamento da Google Wallet. Não se sabe quando é que esta app chega à Europa.

Há dinheiro? Então há Android Pay. A nova app da Google acaba de conhecer o primeiro dia do resto da sua vida com o lançamento nos EUA. O lançamento será suave: de acordo com a Cnet, revela que a nova carteira virtual ficou disponível para pequenos grupos de utilizadores, para poder evitar imprevistos e proceder às últimas afinações.
Durante a próxima semana, a app ficará disponível para smartphones com Android 4.4 e como comunicações por NFC nos EUA. A gigante tecnológica não forneceu qualquer informação sobre datas de lançamento da aplicação na Europa.
A Android Pay é a segunda grande aposta da Google nas transações eletrónicas – e exigiu um reposicionamento do Google Wallet, que passou a focar-se nas transferências de dinheiro entre conhecidos ou amigos.
Para já, a Android Pay está limitada aos pagamentos de baixas quantias, através da aproximação do smartphone a um terminal específico. Posteriormente, numa data ainda não revelada, o novo serviço poderá vir a ser usado para pagamentos dentro de apps descarregadas para o telemóvel do utilizador.
Entre os parceiros da Android Pay encontram-se a Visa, a MasterCard, a American Express, além de vários bancos americanos.
Source: exameinformatica.sapo.pt

Feira de Tecnologias de Informação - TECHDAYS Aveiro 2015

10 de Setembro de 2015 às 20:12
TI

Está quase a chegar um dos maiores encontros de TI em Portugal.Com data marcada para os dias 17 e 18 de Setembro, o TECHDAYS Aveiro 2015 será um evento marcante não só para a cidade dos ovos moles, mas sobretudo para todos aqueles que se interessam e/ou exercem funções na área das Tecnologias de Informação.Conheça o programa deste evento!
Marque na sua agenda… dias 17 e 18 de Setembro acontece, na cidade de Aveiro, o TECHDAYS, um dos maiores encontros de Tecnologias de Informação de Portugal.Será o primeiro do género em Aveiro que terá lugar no complexo Aveiro Expo e conta com a presença do Senhor Ministro da Economia, Dr. António Pires de Lima e do Secretário de Estado da Inovação, Dr. Pedro Gonçalves, entre outras individualidades.
Programa TECHDAYS Aveiro 2015Trata-se de 2 dias de muita informação, conhecimento e partilha! Conheça o programa:17 de SetembroO evento inicia-se pelas 10h no Anfiteatro, com a apresentação do evento. Às 11h conta com um Coffee Break, pelas 11:15h poderão visitar a feira e pelas 12h iniciam-se apresentações da manhã, com o tema “A importância das TICE na Economia: Inovação e Internacionalização” terminando às 13h para o almoço.
Da parte da tarde as apresentações iniciam pelas 14:30h, com o tema “IDI e Empreendedorismo nas TICE: Incentivos Atuais“. Segue-se ao Coffee Break a sessão de Conftele com Dr. H. Stahl da NASA e, pelas 17:20h, tem diversas apresentações à disposição para assistir.Pelas 19:30 tem início o jantar.
18 de SetembroNo segundo dia, o evento inicia-se às 9:30h e incidirá no tema “Inovação, Investigação e Desenvolvimento: Relação Universidade e Empresa“. Terá ainda a Feira e apresentações diversas para assistir, havendo Coffee Break pelas 11h.Logo às 11:30h inicia a segunda parte das apresentações da manhã com o tema “O Setor das Telecomunicações: Que Desafios? Evolução Tecnológica“.
Terá novamente diversas apresentações para assistir e o almoço tem hora marcada para as 13:30h.Pelas 14:30 inicia-se o a sessão do Conftele com Dr. Onus Altintas da Toyota InfoTecnology Center e pelas 15h poderão visitar os posters expostos.O Coffe Break será às 16:30, poderão assistir a mais apresentações, sendo que a hora para o final das sessões está marcada para as 18:30h.Podem aceder ao Programa aqui e ainda o Mapa da Feira aqui.TECHDAYS Aveiro 2015

3D Touch para SmartPhone: Sabe o que é?

10 de Setembro de 2015 às 15:43
IPhone


A Apple apresentou na Keynote de ontem, várias novidades e introduziu aos developers novos desafios para a criação de aplicações. Um dos rumores que se apontava ao iPhone 6S e iPhone 6S Plus era o de incorporar a tecnologia Force Touch, pelo facto da Apple já a ter usado com sucesso, isso daria e vai dar de certeza, uma nova abrangência ao iOS 9, dadas as potencialidades deste dispositivo.
Assim foi. A Apple chamou-lhe 3D Touch e aumentou consideravelmente as funcionalidades do iOS 9. 
Mas… sabe qual é a diferença entre o 3D Touch e o Force Touch?
Esta tecnologia é um refinamento de outra que a Apple já havia inserido noutros produtos, mas que agora surge com um nome mais sedutor. Basicamente estamos perante uma nova funcionalidade de toque no iPhone. O 3D Touch funciona no ecrã inicial e oferece ao utilizador atalhos para as funcionalidades que são mais usadas.
Onde pode ser usado o 3D Touch?
Este sistema, apelidado de “próxima geração” de multi-toque, está integrado no iOS 9, alias, será utilizado daqui para a frente no iOS quer no iPhone, quer no iPad, até porque vem sistematizar algumas acções necessárias ao sistema operativo da Apple, que tem estado um pouco debaixo de fogo, por ser lento a evoluir, principalmente no que toca a novidades mais ágeis.Assim, a Apple quer que o utilizador tenha mais liberdade nas aplicações, para executar mais acções, onde recebe um feedback táctil. Esta reacção do hardware permite sentir o material, tal como no passado quando era tudo mecânico. A magia acontece quando o dispositivo reconhece ambos os toques e força, e lança dois novos gestos.Como funciona o 3D Touch?
Segundo o que já conhecemos dos dispositivos que testamos, quer o Apple Watch quer os touchpad dos Macbook, o utilizador apenas necessita de aplicar uma ligeira pressão no ecrã e recebe de imediato uma pré-visualização dos conteúdos, sem ter de lançar a app. A seguir, fazendo uma pressão maior abre a app e aí sim pode usar a mesma.
A funcionalidade de toque, como referimos, já é utilizada no Apple Watch, onde recebeu o nome de Force Touch. Isto deveu-se ao facto de exercer uma força maior no ecrã, um toque em força que permite, por exemplo, limpar as notificações do visor do relógio, tudo com apenas um toque de pressão. Mas no iPhone há mais acções, é por isso mais rico o toque de pressão.Qual é a diferença entre o 3D Touch e o Force Touch?O 3D Touch  introduz o conceito Peek and Pop. Basicamente permite que o iPhone possa medir não apenas os movimentos direccionais, mexer o dedo de cima para baixo ou da esquerda para direita, mas também agora quando pressiona, o “Peek” desencadeando a visualização do email, por exemplo, sem ter de abrir a app, ou mesmo verificar o estado de um voo sem ter de abrir a app dos voos, se pressiona mais ainda…o pop abre a app.O efeito “pop” faz o utilizador saltar para um sítio novo dentro do sistema operativo, sem mais cliques, apenas com pressão suplementar. Pode, por exemplo pressionar a app Telefone e ligar a alguém sem ter de abrir a app, fazendo logo de imediato a chamada. Isso dá uma velocidade maior às acções do iPhone.Isto é uma grande diferença para o sistema anterior, há mais um nível de actividade e por isso o Force Touch teve de evoluir para 3D Touch. Mas como é que funciona?Os sensores capacitivos estão integrados na retroiluminação do ecrã Retina HD do iPhone, dessa forma este pode medir a pressão do toque e detectar “variações microscópicas” na acção do dedo entre o vidro e a retroiluminação.A resposta apática foi melhorada para responder num único ciclo de acção, emitindo ao utilizador eventos de feedback mais curtos e singulares. Estes eventos são interpretados pelo utilizador como sinais de acção imediatos tal como seria a reacção mecânica que é esperada.Peek, como o nome indica, permite ao utilizador visualizar as informações enquanto se move (sem largar) em cima de um ícone. Pop traz de seguida as acções adicionais já dentro da app. Os exemplos que foram dados ontem na Keynote mostraram novas acções do 3D Touch no email, na câmara e noutras apps de terceiros, o que abre o leque de uma nova filosofia de utilização do iPhone.Apps como as mensagens que pressionando em cima de uma determinada data mostram o que lá está agendado, o Mapas que permite rapidamente largar um Pin do local onde estamos ou a Câmara que faz num instante uma Selfie são exemplos práticos da tecnologia.
Mas o Multitasking sai bastante beneficiado com esta nova tecnologia.Basta pressionar no limite inferior do ecrã e deslizar o ecrã, ou pressione e deslize e irá para a app anterior.Aplicações de terceiros com o 3D Touch foram o desafio lançado pela Apple aos developers. Jogos como ‘Warhammer 40,000: Freeblade’ também estiveram em acção. Mas esteve também o Dropbox, que permite ver os documentos recentes que foram colocados na cloud, o Facebook irá transportar o utilizador para a actualização do perfil ou para o ecrã de upload de uma imagem. O Instagram irá colocar de imediato o utilizador num post novo ou pré-visualizar imagens e vídeos.Uma coisa interessante é que esta funcionalidade irá permitir o acesso directo à câmara frontal quando pressiona com força o ícone da câmara. Isto é só um começo, pois a partir de agora, tudo o que possa ser adicionado a estas acções só trará mais e melhores novidades às apps.Source: pplware.sapo.pt

E os domínios mais perigosos da Net são...

10 de Setembro de 2015 às 12:52
Internet


A decisão do ICANN de abrir o registo de domínios de topo foi contestada por poder representar uma nova forma de ataques pela Internet. Agora, há uma lista dos domínios registados e que são usados para fins duvidosos.
Durante vários anos, os domínios de topo estiveram restringidos para países e para fins genéricos como os .com, .org ou .net... até que a ICANN (Internet Corporation for Assigned Names and Numbers) decidiu abrir a possibilidade destes domínios poderem ser registados por empresas e indivíduos.Na indústria da segurança, muitos alertaram para a possibilidade de criminosos pegarem nestes domínios para criarem páginas que pareceriam legítimas, mas que seria perigosas.Agora, a Blue Coat avisa que alguns endereços novos parecidos com endereços já existentes estão a ser registados para envio de spam, esquemas fraudulentos, distribuição de malware, operações de botnet e ataques de phishing, entre outras ameaças, noticia o ArsTechnica.Todos os endereços registados e que terminam em .zip ou .review analisados pela empresa são classificados como duvidosos, o que indicia que podem representar um perigo. No caso do .zip, trata-se de um domínio de topo que não foi publicitado e que apenas figura num site da Google para publicitar o domínio.No entanto, a Blue Coat explica que os URL .zip estão a aparecer nos logs de tráfego entre os mais de mil milhões de pedidos enviados pelos internautas para o sistema de análise WebPulse. A justificação é que geralmente trata-se de ficheiros .zip que estão a ser lidos pelos browsers dos utilizadores como endereços URL, ou seja, ficheiros com extensão .zip que são vistos como endereços.O top 10 dos domínios mais perigosos segue mais abaixo, com a percentagem de ocorrências suspeitas em frente de cada um:1 .zip (100.00%)2 .review (100.00%)3 .country (99.97%)4 .kim (99.74%)5 .cricket (99.57%)6 .science (99.35%)7 .work (98.20%)8 .party (98.07%)9 .gq (97.68%)10 .link (96.98%)Source: exameinformatica.sapo.pt/

Windows 10: Não deixe que o sistema o espie! Feche a porta

10 de Setembro de 2015 às 12:35
Windows 10


Aprenda a desligar o “keylogger” do sistema.O Windows 10 continua a marcar pontos e no geral os utilizadores até já se habituaram às ultimas alterações realizadas no sistema. No campo da privacidade, em especial nas funções embutidas no sistema que enviam informações para a empresa, a Microsoft tem referido que tudo serve apenas para melhor o próprio sistema e que o utilizador tem sempre a possibilidade de as desligar.
Para quem pretender que o sistema não envie dados para a Microsoft (desligar o keylogger) , aqui estão  os passos que necessita de realizar.

O Windows 10 foi, sem margem para dúvidas, um lançamento de sucesso para a Microsoft. Mas, como é comum no mundo da tecnologia, o Windows 10 não é perfeito e alguns utilizadores já se deram ao trabalho de explorar muitas das funcionalidades do sistema, especialmente ao nível da privacidade.A Microsoft já admitiu que recolhe dados dos utilizadores mas estes podem desactivar tais funções, bastando que executem os seguintes passos:Passo 1) Ir a DefiniçõesPasso 2) Depois escolher a opção PrivacidadePasso 3) Em Geral, desligar a opção “Envie Informações à Microsoft como escrever para nos ajudar a melhorar a escrita no futuro”Passo 4) Em Voz, tinta digital e escrita carregue no botão “Deixar de me conhecer”E é apenas isto. Com tais funcionalidades desligadas, em principio, o nosso sistema deixa de enviar informações para a Microsoft, apesar de existirem algumas informações que contratariam tal afirmação.Source: pplware.sapo.pt

Uber, a aplicação informática que está a provocar diversos protestos

9 de Setembro de 2015 às 10:36
Aplicações Internet

Os taxistas queixam-se que a Uber, que está a funcionar desde junho do ano passado, lhes está a tirar clientes.


 A Uber é uma aplicação informática que permite aos utentes chamar um carro para os transportar, a preços mais baixos que os dos táxis. 

Google satisfaz-lhe a curiosidade com nova funcionalidade

3 de Setembro de 2015 às 10:01
Google Internet

O motor de busca da tecnológica dá-lhe informação aleatória sobre perguntas que nem sabia que tinha.
Agora, o motor de busca da tecnológica de Mountain View permite tomar conhecimento de factos aleatórios, com o Google a colocar questões e a responder automaticamente por baixo com todos os factos. Em baixo desta informação segue-se um botão que responde automaticamente a outra pergunta gerada automaticamente.

Tal como o The Verge diz, é preciso apenas pesquisar ‘fun facts’ para que se inicie a pesquisa aleatória e começar a ver as horas passar.

Quer ter videos do Youtube a tocar em fundo no Android?

2 de Setembro de 2015 às 10:39
Youtube Android Internet


O Android, e muitos outros sistemas móveis, têm algumas particularidades únicas no que toca à reprodução de vídeo e de áudio em segundo plano.Não sendo possível, acaba por limitar os utilizadores e impedir a sua correcta utilização.
Felizmente existem soluções não oficiais que permitem, por exemplo, ter o áudio do YouTube a tocar, sem que o utilizador necessite de ficar preso à aplicação. Vamos então conhecer uma forma simples de ter os vídeos do Youtube a tocar em fundo, no Android.
Esta incapacidade de ter os vídeos e o som a correr em fundo limita a utilização que os utilizadores podem dar a este serviço e à aplicação associada no Android.
Como a Google não apresenta uma solução, muitos tentaram, com sucesso, contornar a limitação e ter, pelo menos, o som dos vídeos a tocar.

Para o terem também no vosso Android só precisam de ter instalada uma aplicação, muito simples de usar e de integrar com o YouTube.
A aplicação que devem ter instalado no Android é o AudioPocket 2, que podem encontrar na Play Store do Android.
Depois de instalada a aplicação não precisam de a usar para ter acesso ao áudio, uma vez que ela se integra com o Android de forma simples.
Precisam sim de aceder à aplicação YouTube, presente em todos os Android, e ai devem encontrar o vídeo que querem ouvir.
Depois apenas precisam de aceder à zona de partilha do vídeo e ai devem encontrar o AudioPocket 2. É com ele que querem partilhar, para que seja processado o áudio e para que o possam ouvir em fundo.
 anteriorpróxima O AudioPocket 2 permite que sejam criadas filas de reprodução em que o utilizador indica quais os vídeos que quer ouvir e também permite que sejam tratada em simultâneo playlists directamente do YouTube.Na sua forma mais básica o AudioPocket 2 é gratuito, permitindo o acesso a todas as funcionalidades realmente importantes. Existem dois pacotes adicionais, pagos, em que o utilizador tem acesso a controlos adicionais da reprodução do áudio e à remoção da publicidade.Para além de permitir ter o áudio dos vídeos a tocar em fundo, o AudioPocket 2 consegue ainda poupar bateria e dados aos utilizadores, ao limitar-se a tratar do áudio, deixando de lado o vídeo, o elemento que mais consome.Usem o AudioPocket 2 e passem a ter os vossos vídeos preferidos a tocar em fundo, conseguindo assim, pelo menos, ouvir o que vos interessa.

Google apresenta nova versão de seu logotipo

1 de Setembro de 2015 às 17:24
Google Internet


Mudanças de design de grandes marcas parecem mexer com o público e pegar todo mundo de surpresa. Basta ver a reação das pessoas à mudança de cor do ícone do Spotify ou a alteração feita pelo Facebook em algumas das letras de seu logotipo. Agora, consegue imaginar o impacto de quando a Google resolver mudar o visual de seu logo? Na verdade, nem precisa imaginar, já que foi isso que a empresa resolveu fazer nesta terça-feira (1º).

Em uma postagem oficial em seu blog, a companhia afirma que mudou muito nesses últimos 17 anos, avançando a passos largos com a sua ferramenta e buscas e desenvolvendo uma série de novos recursos e tecnologias para tornar a vida dos usuários ainda melhor e mais prática. Assim não é de se estranhar que devido a tantas mudanças e pouco tempo depois de anunciar uma série de mudanças estruturais – com a criação da holding Alphabet –, a companhia quisesse ganhar uma cara nova.
A nova marca continua simples e minimalista – nada de efeitos ou mudanças bruscas no estilo –, apresentando apenas o nome da empresa escrito nas cores icônicas na Gigante da Internet. Porém, sai a boa e velha fonte serifada para dar lugar a um tipo mais reto e bastante charmoso. Embora o design tenha mudado algumas vezes desde a criação da empresa, essa foi uma das alterações mais radicais nas quase duas décadas de vida da Google. E aí, aprovou o novo visual?Comente sobre o novo visual Google