219 347 706 Email Facebook
AppleIOS

Memoji: Já podemos criar animojis personalizados no iOS

5 de Junho de 2018 às 09:16

Memoji: Já podemos criar animojis personalizados no iOS

5 de Junho de 2018 às 09:16
Apple IOS


A WWDC18 tem sido rica em novidades. A maioria centrou-se no iOS 12, a próxima grande atualização da Apple. Depois de vermos surgir muitas melhorias e novas funções, surge também o Memoji, o seu aniimoji pessoal.
Desde que lançou o iPhone X que a Apple tem a possibilidade de serem usados os animojis, a personalização de algumas personagens que podemos usar para criar as nossas expressões e as nossos sentimentos.Como não podia deixar de ser, a Apple focou-se também nesta área quando desenvolveu o iOS 12. Há novos personagens disponíveis e que vão assim complementar a oferta da Apple e do iOS.Mas a grande novidade está mesmo nos Memojis, que são uma nova forma de animojis. Agora já podemos criar o nosso animoji personalizado, em que podemos alterar todas as características e ajustá-las ao que estamos a usar ou que alterámos no nosso perfil.Há ainda uma melhoria substância do que podemos fazer com os animojis e a chegada de novos filtros que podemos usar nas mensagens e nas chamadas de vídeo ou FaceTime.source: pplware.sapo.pt

Como recuperar fotos perdidas após o update do iOS 11?

24 de Outubro de 2017 às 09:21
IOS Apple


Apesar de estarem a sair novos patches que resolvem os problemas provocados pelo novo iOS 11, a verdade é que muitos utilizadores saíram prejudicados com todas as ondas de falhas lançadas pela mais recente versão deste sistema operativo, muitos viram mesmo as suas fotos perdidas.Para quem perdeu informação em todo este processo, como por exemplo fotos, contactos ou mensagens, a ferramenta que apresentamos hoje pode simplesmente salvar o dia.
Mas afinal do que estamos a falar? Falamos do Primo iPhone Data Recovery que, sinteticamente, é um recuperador de todo o tipo de informação do iPhone com resultados reais e uma interface muito simples.O que é o Primo iPhone Data Recovery?Este software tranquiliza à partida os seus utilizadores e mostra serviço – como se diz na gíria -. Claro que existem outras alternativas no mercado, mas sua facilidade de uso e capacidade de recuperação tornam-no único.Segundo o seu criador, o Primo iPhone Data Recovery é uma ferramenta capaz de trazer toda a informação que tenha sido perdida sem que nada fique para trás, ou seja, recuperações a 100% dentro das tipologias compatíveis.Com a recuperação de 25 tipos de conteúdos, pode ser usado em iPhone, iPad e iPod touch. Em todo este processo a informação é recuperada através de 3 modos de segurança:a partir do dispositivo,a partir dos backups do iTunese a partir do iCloud.As recuperações podem ser desde contactos, mensagens, notas, fotos, etc. O Primo iPhone Data Recovery suporta o iPhone 7, iPhone 7 Plus, iPhone 8 e o iPhone X bem como o iOS 10 e o iOS 11.As suas fotos são muito importantesOra, se o iPhone é uma das câmaras fotográficas mais populares do mundo, então todas as nossas fotos da galeria são, e devem ser, muito importantes. Desde aquela nossa selfie “maluca” até à foto de família mais formal, todas têm a sua importância. Tanta importância que perdê-las pode ser uma tragédia, como aconteceu em muitos casos com a atualização do iOS 11.Caso se dê essa mesma tragédia, torna-se muito simples recuperar fotos perdidas ou acidentalmente perdidas a partir da memória da câmara, do Photo Stream ou da biblioteca de fotos, não importando se possuímos um backup ou não, não importando se as perdemos via uma atualização de sistema, um jailbreak ou mesmo de forma acidental.Antes de tudo devemos fazer o download do Primo iPhone Data Recovery instalar. Depois de correr a aplicação, poderemos visualizar pequenos thumbnails – imagens pequenas – do que ele encontra e trá-los de volta com a qualidade original.O programa é tão simples quanto intuito, apresentando uma interface muito fácil de interpretar, mesmo quem possua menos conhecimentos de informática.Nem só de fotos perdidas vive o smarthoneApesar do nosso foco neste artigo ter estado centrado nas fotos, a verdade é que Primo iPhone Data Recovery vai muito mais além e destaca-se ainda a capacidade de recuperação de outros importantes elementos:Recuperar 25 tipos de conteúdo iOS do iPhone, iPad e iPod touch;Recuperar dados através de 3 modos seguros: do iDevice, do backup do iTunes e do iCloud;Recuperar dados perdidos para o iPhone diretamente como: contatos, mensagens, notas, etc;Guia e tutorialNo que toca a guias, a própria PrimoSync suplanta as expectativas uma vez que dá a conhecer os seus próprios guias [em inglês], bem elaborados, de forma a que qualquer tipo de utilizador possa entender e seguir passo a passo como:Como corrigir ou recuperar fotos do iPhone ou iPad perdidas após a atualização do iOS 11;Como corrigir mensagens de texto do iPhone / iPad desaparecidas após a atualização do iOS 11.source: pplware.sapo.pt

Eye: A nova forma de ter o Android no seu iPhone

14 de Março de 2017 às 10:05
Eye Android IOS


Algo que se procura há muitos anos é uma forma de ter os diferentes sistemas operativos a correr em qualquer plataforma. Misturar o Android com o iOS ou o macOS com o Windows não é simples e raramente se consegue.Mas, mais uma vez, surge uma solução que cria uma versão híbrida, onde podemos ter o Android a correr lado a lado com o iOS, onde o utilizador tem acesso ao melhor que estes dois sistemas podem oferecer. Vamos conhecer o Eye, a próxima revolução para o iPhone.
A maioria dos utilizadores optam pelo iPhone não pelas funcionalidades que oferece, mas sim pela facilidade de utilização do iOS. Mas muitos continuam a pensar no que o Android oferece e na liberdade presente no sistema da Google.O que na verdade os utilizadores gostavam era mesmo de uma solução híbrida em que teriam o melhor do iOS acompanhado com o a modularidade do Android. É aqui que entra uma nova proposta, o Eye, que é uma capa que dá ao iPhone a possibilidade de ter o Android a correr na parte de trás, literalmente.Esta é uma capa, com um ecrã traseiro de 5 polegadas, e que corre nativamente o Android. Integra várias coisas que o Android tem e que o iOS acaba por não oferecer. Falamos do NFC, da expansão de memória por cartão de memória, do jack de 3,5mm e outras coisas.O Eye consegue ainda funcionar como uma bateria externa que aumenta a vida útil do iPhone e até tem uma versão que suporta um segundo cartão SIM, funcionando como um segundo telefone. Um extra que todos vão dar como bem vindo é o carregamento sem fios, algo que a Apple tão cedo não deverá oferecer.Ainda não está disponível para compra, estando ainda em Kickstarter a procurar verbas para se tornar uma realidade para poder ser comprada.Com o que oferece, o Eye acaba por não ser caro, estando disponível em 2 tamanhos e em dois formatos. Falamos do modelo para os iPhone e para os iPhone Plus e a versão com e sem cartão SIM. Os preços começam nos 95 dólares, indo até aos 149 dólares.Esta pode ser finalmente a abordagem que todos esperavam. Uma capa muito discreta, que dá aos utilizadores do iPhone uma nova face, onde podem ter acesso a tudo o que Android tem de melhor.source: pplware.sapo.pt

iOS Bug… Há um texto que “mata” qualquer iPhone…

19 de Janeiro de 2017 às 09:40
IOS Iphone


…mas só por alguns segundos!É interessante perceber como um sistema operativo é vasculhado de lés-a-lés e se descobrem “bugs”, erros e problemas, que não lembram a ninguém.Está a circular um texto por iMessage que “mata” qualquer iPhone.
Basta uma singela mensagem de texto, que no fundo é isto: 0  para o seu iPhone “morrer” por segundos!Bom, o problema está na tentativa de “conversão” destes 3 símbolos por parte do iOS. Como existe um bug no sistema, o iOS não consegue assimilar estes 3 símbolos para fazer uma bandeira arco íris. Este emoji funciona com 3 camadas e ao produzir este símbolo… simplesmente o iOS estoura.Deixamos aqui um vídeo do YouTuber EverythingApplePro que mostra os exemplos, e como eles afectam de forma assustadora todo e qualquer iPhone:Há dois métodos para poder criar esta mensagem. Um resulta para quem tem o iOS 10.1.1 e o segundo funciona também nos utilizadores que têm o 10.2+. Como pode ser usado?Vamos usar a página de quem “descobriu” o bug para poder recolher o texto e algumas dicas. Basicamente é necessário que o código esteja dentro do próprio iPhone ou dentro do iCloudClique na área de textoSeleccione tudo (ctrl+A ou cmd+A) e copieCole no Mensagens no Mac ou numa nota dentro do icloud.com para depois ser enviado via iPhone​0Depois do teste, descobrimos que também atinge o Apple Watch. E no Android?Segundo alguns relatos, e pelo que testamos, o sistema operativo da Google não tem o mesmo comportamento, basicamente fica mais lento, mas não “crasha” tal como acontece no iOS.Este bug está literalmente à solta e não tem como o impedir de chegar ao seu iPhone. O sistema recupera deste bloqueio 3 a 5 segundos depois, mas se estiverem sempre a enviar… é cruel!!source: pplware.sapo.pt

iOS 9.3 – Já experimentou as novidades para iPhone/iPad?

24 de Março de 2016 às 10:04
Apple IOS


No mesmo dia em que a Apple apresentou o novo iPhone SE, o novo iPad Pro entre outras novidades, a empresa de Cupertino disponibilizou também o novo iOS 9.3. Esta nova versão do iOS traz algumas novidades interessantes das quais se destacam a “nova” funcionalidade Night Shift e também a possibilidade de proteger notas com palavras-chave.Saiba como usar as novas funcionalidades e conheça outras que estão igualmente disponíveis.
De acordo com as informações da Apple, o novo iOS 9.3 é compatível com o iPhone 4S e versões superiores, iPad 2 e versões superiores, iPad Pro e a quinta-geração do iPod touch. Esta versão traz algumas novidades que apresentamos de seguida. Night ShiftTal como o nome sugere, o modo Night Shift permite que o ecrã mude automaticamente as cores para tons menos frios do espectro cromático, permitindo-lhe dormir melhor depois de estar a usar o dispositivo.Para activar tal funcionalidade basta ir a Definições > Ecrã e Brilho. Em seguida basta carregar em Night Shift passando o utilizador a dispor de várias opções de configuração como por exemplo definir/agendar o período em que este modo deve estar activado, definir a temperatura da cor, etc.O Night Shift pode também ser ligado/desligado via Central de Controlo.  Definir Palavra-passe nas NotasPara activar a possibilidade de ter uma Palavra-passe nas notas basta ir a Definições > Notas e depois carregar em Palavra-passe.Aí devem definir uma Palavra-passe e também, caso o vosso equipamento suporte, activar o uso de impressão digital, como método de autenticação para ver as notas protegidas.Depois basta abrir a app Notas, criar uma nova Nota e proteger a mesma.Com este nível de protecção, os utilizadores passam a poder guardar informação mais sensível no seu próprio dispositivo. Outras novidadesAlém destas duas novidades, o iOS 9.3 disponibiliza também mais atalhos em apps  (Meteorologia, Bússola, App Store, iTunes Store e Saúde ) quando usado o 3D Touch. A app News traz também melhorias e algumas apps direccionadas para a educação, como por exemplo a “Classroom” e “Apple School Manager” (isto só no iPad), ganharam suporte para múltiplos utilizadores.A app Saúde traz também algumas melhorias passando agora a ter uma organização da informação mais ajustada. As categorias presentes na app Saúde passam também a sugerir apps de fitness para o efeito. Ao nível das Live Photos, os utilizadores podem agora retirar o efeito sem perder qualidade.source: pplware.sapo.pt

75% dos utilizadores do Windows Phone migra para Android ou iOS

19 de Novembro de 2015 às 09:36
Windows Android IOS


A guerra dos sistemas operativos móveis nunca esteve tão acesa. Cada marca e sistema tenta cativar para si utilizadores, com propostas de novos equipamentos e de novas funcionalidades, procurando sempre inovar e ser diferente.Um estudo recente mostrou uma realidade que poderia ser desconhecida da maioria. O nível de fidelização aos sistemas operativos é muito baixo em alguns casos e o Windows Phone tem dos mais baixos de todos.

O estudo Mobility Report, da Ericsson, veio mostrar que os diferentes cenários que levam os utilizadores a manter-se ou não fieis aos sistemas onde estão integrados e que escolheram como os seus.O exemplo mais gritante e que é de longe o mais revelador, está nos utilizadores do sistema operativo móvel da Microsoft. Quem escolheu este sistema operativo tem uma apetência natural para mudar para outro na hora de realizar uma actualização. Ao todo são 75% dos utilizadores os que se mostram dispostos a mudar para outro sistema operativo.As escolhas para a troca são óbvias e recaem sobre o Android e sobre o iOS, com o sistema operativo da Google a ser o preferido. A diferença para o iOS é, neste caso, substancial.Ao todo são 60% os que optam pelo Android e 15% os que escolhem o sistema operativo móvel da Apple.Apenas 20% revelou que decidiu ficar no Windows Phone no momento de trocar de equipamento. As preferências dos restantes 5% não são especificadas no estudo.O estudo da Ericsson mostrou ainda de que forma os utilizadores dos restantes sistemas operativos móveis se comportam face à possibilidade de um upgrade.O sistema com seguidores mais fieis, e que não pensam em trocar, é o Android. São 82% os utilizadores que decidiram manter-se neste sistema da próxima vês que comprarem um smartphone novo.Mas do lado do iOS os números também são positivos, com 73% dos utilizadores a optarem por manter-se no sistema operativo da Apple no futuro.Uma última conclusão que pode ser obtida deste estudo é que os utilizadores de smartphones topo de gama são mais fieis ao ecossistema escolhido face aos utilizadores que têm equipamentos de gama mais baixa, que mais facilmente ponderam a troca para outro sistema.Para criar este estudo e as suas conclusões, a Ericsson recolheu informações de mais de 100 redes espalhadas pelo mundo, criando perfis de comportamento dos utilizadores e dos sistemas operativos usados.source:pplware.sapo.pt

Novo estudo mostra que o Android é mais seguro que o iOS

12 de Novembro de 2015 às 09:28
Android IOS


A segurança dos dispositivos móveis é um tema que tem sido bastante discutido e que se tem provado difícil de controlar. A culpa, maior parte dos casos, está nas aplicações e na forma como estas se ligam aos sistemas operativos.Vários estudos têm mostrado diferentes posições em relação a este problema, mas um recente mostrou que o nível de ameaças no Android é inferior ao do iOS, sendo por isso mais seguro.

São vários os possíveis pontos de falha de segurança num sistema operativo. Desde o próprio sistema e as suas APIs até às sempre controversas aplicações, os atacantes podem explorar e conseguir aceder aos dados dos utilizadores ou simplesmente assumirem o controlo dos dispositivos.Um estudo agora apresentado pela CheckMarx provou que as aplicações no Android são mais seguras que as do iOS, apresentando menos situações críticas e que podem causar problemas.Os números são muito semelhantes, mas conseguem dar uma ligeira vantagem ao Android, que assim se mostra um sistema em que os utilizadores podem confiar.Estes valores surgem da avaliação de centenas de aplicações, quer no Google Play, quer na App Store e onde foram agrupadas pelos tipos de falhas detectadas (baixa, média, alta e crítica). As apps analisadas vão desde aplicações bancárias, ferramentas, jogos e até aplicações de segurança.Os números são claros e o iOS reuniu uma percentagem maior de falhas críticas e altas, o que o coloca numa posição mais vulnerável. Os 40% obtidos deixam-no à frente e por isso mais exposto, do que o Android, que obteve 36%.Os criadores deste estudo revelaram ainda que a falha mais comum em todas as falhas está associada à passagem de informação dos utilizadores e a sistemas de autenticação pouco seguros e que facilmente podem ser contornados.Como foi já referido, esta diferença é mínima, mas mostra de forma clara que o sistema operativo móvel da Apple tem estado a perder a sua aura de protecção máxima que sempre teve associada.O Android não ficando muito longe, consegue ainda assim ter uma prestação com menos falhas preocupantes, o que o coloca numa posição de destaque.Também deixa uma visão pouco optimista para os sistemas móveis. Qualquer um dos dois principais sistemas apresenta falhas graves e que podem comprometer a segurança dos utilizadores e os seus dados.
source:pplware.sapo.pr