219 347 706 Email Facebook
EasypayMultibanco

Portugal: Easypay é o novo concorrente da Rede Multibanco

20 de Fevereiro de 2017 às 09:34

Portugal: Easypay é o novo concorrente da Rede Multibanco

20 de Fevereiro de 2017 às 09:34
Easypay Multibanco


A rede Multibanco, que é gerida pela SIBS, é amplamente conhecida em Portugal até porque é a partir das caixas Multibanco que levantamos o nosso dinheiro e realizamos outras operações. Tal como informámos aqui, a rede Multibanco tem já um concorrente, a rede Euronet Worldwide, que disponibiliza 300 caixas.Em breve vai chegar a marca abypay, que vai ter, para já, 50 caixas automáticas.
Segundo dados da Pordata, em 2015 existiam 12.437 caixas ATM, sendo este mercado claramente liderado pela SIBS. Além da rede multibanco existe também a rede Euronet Worldwide e, já no segundo trimestre, chegará a Easypay com a marca abypay.Em declarações à Lusa, Sebastião de Lencastre, presidente da Easypay revelou que…O plano em 2017 vai ser muito agressivo, com a disponibilização ao público da app abypay até ao final do primeiro trimestre e, no segundo trimestre, vamos entrar na rede de comerciantes e fazer a instalação das primeiras ATM em PortugalSabe-se também que a abypay é uma marca 100% portuguesa e que o investimento previsto para 2017 ronda os 1,5 milhões de euros.O presidente da Easypay revelou que a empresa é uma instituição de pagamento registada no Banco de Portugal e não é apenas mais um serviço de pagamentos, mas algo revolucionário nesta área…Desenvolvemos uma solução única no mundo, revolucionária, que permite fazer transferências de dinheiro instantâneas, para qualquer parte do mundo e em qualquer moeda, em segundos e com um custo de poucos cêntimos. Somos um banco moderno e estamos lançados na terceira revolução do dinheiroDe acordo com o JN, em 2016, a Easypay teve um volume de transações de 84 milhões de euros e um total de 3,1 milhões de transações, um crescimento significativo face aos dados de 2015 (64 milhões de euros em volume de transações e 2,1 milhões de transações).source: pplware.sapo.pt

Máquinas multibanco vítimas de ataque em larga escala

23 de Novembro de 2016 às 09:55
Multibanco Ataques


Os ataques informáticos há muito que deixaram de se focar apenas nos computadores e nos dados dos utilizadores. Procuram agora obter lucro de forma mais rápida, directa e alvos mais simples de atacar.As máquinas multibanco começam a ser, por isso, olhadas com outras intenções e um ataque massivo e em larga escala parece estar a decorrer, levando a que estás, simplesmente, libertem dinheiro.

O ataque que a empresa de segurança russa Group IB descobriu afectou máquinas multibanco em toda a Europa e Ásia e foi realizado remotamente, tendo os atacantes apenas de ter alguém junto das mesmas para que o dinheiro pudesse ser recolhido.A grande diferença que este ataque teve, face a outros que aconteceram num passado recente, é que resulta de uma infecção com malware que pode ser controlada a partir de um único ponto central.Mais uma vez estes ataques são feitos de forma orquestrada e num único momento, para garantir que conseguem agir antes de serem detectados e as ordens canceladas pelos bancos. A forma como actuam permite que apenas necessitem de ter um parceiro junto de cada máquina multibanco, que no momento exacto irá receber o dinheiro que for libertado.Crê-se que este ataque esteja a ser dirigido por um grupo de hackers russos, de nome Cobalt, e que já no final do ano passado tinha conseguido uma proeza idêntica, também com maquinas multibanco.Os principais fabricantes destas máquinas estão já a par do problema e estão a trabalhar activamente com os bancos para conseguir mitigar estes ataques ou, pelo menos, conseguir prever quando vão acontecer, impedindo assim que as máquinas sejam controladas remotamente.Este não é um ataque novo, mas a forma como é realizado mostra que os atacantes estão a conseguir penetrar nas defesas dos bancos e a infectar máquinas que deveriam estar protegidas e isoladas. Estes ataques vão-se repetir e provavelmente aumentar de escala, tentando obter o máximo de dinheiro num futuro próximo.source: pplware.sapo.pt

Cuidado, os leitores dos cartões multibanco podem ser enganados

30 de Novembro de 2015 às 11:03
Multibanco


Os sistemas de pagamento são alvos preferenciais para ataques e para tentativas de fraude. Sempre que conseguem, os atacantes procuram roubar não apenas os dados mas também dinheiro das suas vítimas.Uma nova descoberta, vinda do conhecido Samy Kamkar, provou que qualquer cartão magnético pode ser reproduzido por ondas electromagnéticas e assim enganar qualquer terminal de pagamento.

O novo dispositivo que Samy Kamkar criou permite enganar qualquer terminal de pagamento, simulando o processo de passagem desses cartões de banda magnética.Com um tamanho diminuto, pouco maior que uma moeda de 20 cêntimos, o MagSpoof foi criado para armazenar toda a informação constante dos cartões de crédito ou que tenham uma banda magnética.Para além de armazenar essa informação, o MagSpoof consegue também reproduzi-la e simular os cartões na presença de um terminal de pagamento.Para criar este pequeno dispositivo, Samy Kamkar usou apenas um microcontrolador Atmel ATtiny85, um L293D H-bridge para para guiar o electroíman, uma bobine de fio de cobre, uma pequena bateria de 100mAh 3.7V e alguns LEDs, resistências e switches.O funcionamento do MagSpoof é simples e o próprio Samy Kamkar descreve-a no seu site, onde pode também ser encontrada informação variada para todos os que queiram montar um.MagSpoof emulates a magnetic stripe by quickly changing the polarization of an electromagnet, producing a magnetic field similar to that of a normal magnetic stripe as if it’s being swiped. What’s incredible is that the magstripe reader requires no form of wireless receiver, NFC, or RFID — MagSpoof works wirelessly, even with standard magstripe readers. The stronger the electromagnet, the further away you can use it (a few inches in its current iteration).Todo o processo é explicado num vídeo em que Samy Kamkar revela o processo de criação do MegaSpoof e a sua utilidade.Mas onde entra a segurança?Para obter a informação dos cartões de crédito, que está residente na banda magnética, Samy Kamkar descobriu uma falha no processo de criação destes cartões.Explorando esta falha é possível ao MagSpoof descobrir o números de qualquer cartão, baseado num cartão cancelado. Também a nova data de vida deste cartão pode ser obtida através da data de cancelamento.Com o MagSpoof é ainda possível enganar os terminais de pagamento para aceitar pagamentos de cartões que têm chips com criptografia avançada e preparada para detectar e evitar fraudes.Samy Kamkar não incluiu esta funcionalidade no MagSpoof e apresentou a vulnerabilidade às empresas que tratam de emitir esses cartões.source: pplware.sapo.pt