219 347 706 Email Facebook
Web Design
ERP Primavera
Software à Medida
Últimas Novidades

Os Google Glass estão de volta mas agora com inteligência artificial

2018-08-01 às 09:23


O projeto Google Glass começou a ser pensado em 2006 de forma secreta pela Google e surgiu no mercado em 2013. Estes óculos futuristas permitiam, na sua lente, executar e visualizar uma série de comandos. Era um projeto avançado demais para o seu tempo e acabou por ser descontinuado pela Google.Pese o facto do projeto Google Glass ter “desaparecido” não quer isso dizer que morreu. Na semana passada, a empresa de software israelita Plataine demonstrou uma nova aplicação para este dispositivo. Afinal, o Google Glass vive e está a ficar mais inteligente.
A Plataine é uma empresa que tem como função desenvolver software industrial inteligente, baseado na IoT. Esta nova ferramenta que desenvolveram, software da empresa e os Google Glass, têm como destino trabalhadores fabris que podem falar com os óculos e receber deles respostas verbais.A aplicação da empresa de Israel aponta para um futuro onde o Glass é aprimorado com inteligência artificial, tornando-o mais funcional e fácil de usar. Com clientes como GE, Boeing e Airbus, a Plataine também está a trabalhar para adicionar recursos de reconhecimento de imagem ao seu software.A empresa exibiu a sua tecnologia Glass numa conferência em San Francisco dedicada ao negócio da computação na cloud Google; a aplicação da empresa foi construída recorrendo a serviços de IA fornecidos pela divisão cloud da Google e com o apoio da gigante das pesquisas.A Google está a apostar em comercializar a terceiros a sua inteligência artificial. É uma nova vertente para a tecnologia quando, inicialmente, esta havia sido pensada e desenvolvida para o seu próprio negócio, para afastar os seus clientes da concorrência de empresas como Amazon e Microsoft.Jennifer Bennett, diretora técnica do departamento Google Cloud, disse que a adição dos serviços cloud da Google ao Glass poderia ajudar a tornar este dispositivo numa ferramenta revolucionária para os funcionários em situações em que um computador portátil ou um smartphone não fizessem sentido serem utilizados.Muitos de vocês provavelmente lembram-se dos Google Glass dos dias de consumo – estão de voltaaaa. Os Glass tornaram-se numa tecnologia realmente interessante para a empresa.Referiu a responsável da Google que arrancou sorrisos ao apresentar o projeto da Plataine. Google Glass Enterprise EditionEsta sessão aconteceu cerca de um ano depois da Google ter abandonado a sua tentativa de vender o projeto ao consumidor. O Glass é um dispositivo que, dadas as suas características, o seu ecrã e câmara sempre apontado para onde o utilizador está a olhar, levantou imensas dúvidas e gerou controversas opiniões sobre a privacidade.Em vez de “matar” o projeto, a Google vocacionou este seu gadget como ferramenta para empresas e com o nome Google Glass Enterprise Edition. Projetos pilotos envolveram trabalhadores da Boeing que usavam o Google Glass em linhas de produção de helicópteros, e médicos usando o equipamento na sala de exames.Na prática este dispositivo irá permitir que um trabalhador utilize o hardware e o software da Plataine para obter ajuda. Foi demonstrado no evento que um trabalhador entrava num armazém e poderia dizer “Ajude-me a selecionar materiais”. O software responderia, verbalmente e no visor, com quais materiais necessários e onde eles poderiam ser encontrados.As ações de um trabalhador podem ser imediatamente visíveis aos chefes de fábrica, sincronizados com o software que a Plataine já fornece aos clientes, como faz com a Airbus, que pode em tempo real acompanhar as operações de produção.A responsável da Google deixou indicações que a empresa gigante das pesquisas está a trabalhar em projetos e produtos onde o Google Glass é parte integrante assim como o Google Cloud.

11 milhões de smartphones e browsers infetados. Remova já estas apps

2018-07-27 às 08:52

Quando o tema é segurança, todos os cuidados aplicados acabam por ser sempre poucos e é requerido alguma atenção adicional. A mais recente campanha que está a decorrer, e que foi descoberta mostra que são milhões os afetados.Esta não se limita nem aos smartphones e nem aos browsers e consegue afetar estas 2 plataformas, recolhendo dados dos utilizadores sem que estes tenham conhecimento. As apps estão identificadas e devem ser de imediato removidas.
Descoberta pela AdGuard Research, esta nova campanha de malware está a afetar todo um leque variado de equipamento e plataformas. A sua base vem de várias apps e extensões para os browsers, com o objetivo de recolher o histórico das navegações na Internet dos utilizadores.O mais normal na forma como age é mesmo a forma como se espalhou não apenas a dispositivos como a plataformas. Esta campanha foi detetada não apenas no Android, mas também no próprio iOS, onde está presente num número de elevado de aplicações, e até no Chrome e no Firefox, onde entrou como extensões comprometidas alojadas nas lojas destes browsers.Estima-se que sejam já 11 milhões de dispositivos infetados e que estejam a servir para recolher os dados dos utilizadores, em especial os sites da Internet que são visitados durante a utilização.No caso do Android as apps que foram detetadas como estando afetadas são da empresa americana Big Star Labs e estão disponíveis na Play Store. No do iOS estas apps foram instaladas de fora da App Store.A quase totalidade destas apps promete bloquear publicidade e evitar pop-ups, pedindo aos utilizadores acesso ao seu histórico, que o trataria de forma anónima. Na verdade estes dados são recolhidos e enviados de forma clara, sendo depois partilhados com empresas dedicadas ao marketing.Lista das Apps e ExtensõesBlock Site (app e extensão)AdblockPrimeApps do Android como:  Speed BOOSTER, Battery Saver, AppLock, Clean DroidPoper BlockerCrxMouseNaturalmente que todas estas apps e extensões, se estiverem instaladas e a uso, devem ser removidas de imediato, para trazer de volta a segurança dos utilizadores e para impedir que os seus dados sejam recolhidos sem a sua autorização.source: pplware.sapo.pt

Android P: Google lançou a última versão de testes do seu próximo sistema operativo

2018-07-26 às 09:45

Desde que na última I/O a Google apresentou a próxima versão do Android que esta está a ser testada pelos utilizadores, para que sejam detetados e corrigidos os problemas existentes.Depois de várias versões de testes, chegou agora aquela que se sabe ser a última, abrindo caminho para dentro em breve surgir a versão final do Android P e que será disponibilizada para as várias marcas que usam este sistema operativo.
Ao contrário do que aconteceu nas anteriores, esta versão do Android P da Google não mostrou as melhorias que trouxe e nem os problemas que ela corrige das versões anteriores. Mesmo assim, sabe-se que existem melhorias substanciais e que se podem comprovar.A versão Beta 4, ou developer preview 5, vem trazer melhorias na estabilidade do Android P, espera-se, ultimar todas as novidades apresentadas na I/O deste ano, quer sejam visíveis, e de utilidade para o utilizador ou simplesmente internas ao Android.Devemos por isso ter o novo sistema de controlo por gestos terminado e pronto a ser usado em toda as suas potencialidades, para facilitar a utilização do Android P face ao que tínhamos antes.Há também toda a parte referente à gestão do do próprio Android, onde vai estar disponível uma melhor gestão dos processos em multitarefa e também na própria gestão de energia e dos restantes recursos.Tal como em todas as versões de teste anteriores, a Beta 4 do Android P está apenas disponível para um conjunto limitado de equipamentos, mas desta vez não se limitando aos Pixel.Não se sabe ao certo quando será lançado o novo Android P, mas espera-se que surja muito em breve, provavelmente acompanhado do, já várias vezes falado, Pixel 3, como é normal na Google. Se estão já a testar o Android P, devem procurar esta atualização, que está já a ser disponibilizada via OTA.source:pplware.sapo.pt

Começam a surgir as primeiras informações do Huawei Mate 20 Pro

2018-07-16 às 09:24


Com o lançamento do Huawei P20 Pro, a marca chinesa deu um passo de gigante na qualidade geral dos seus topos de gama.Com o verão a passar a passos largos, começa a aproximar-se a data de lançamento do novo Mate 20 Pro, estando já a chegar as primeiras informações.
A Huawei é uma das marcas que tem registado um maior crescimento no mercado dos smartphones, tanto em vendas como em qualidade.Com a apresentação do P20 Pro, notou-se uma grande aposta da marca chinesa no seu desenvolvimento, especialmente no departamento fotográfico.Com a chegada do Outono, começa também a aproximar-se a altura do lançamento do novo Huawei Mate 20 Pro e do novo processador Kirin 980.Huawei Mate 20 Pro – Um ecrã maior e um número aumentado de câmarasComo tem sido hábito, antes dos grandes lançamentos surgem sempre um número alargado de rumores. Com a chegada o Mate 20 Pro não existe excepção, estando a aparecer agora os primeiros dados.Segundo os rumores, este novo smartphone trará um ecrã OLED de 6,9″curvo, como o Mate 10 RS Porsche Edition, que deixará de ser fabricado pela LG, sendo substituída pela empresa chinesa BOE. Debaixo do ecrã podemos encontrar ainda o sensor de impressões digitais, uma tecnologia que já tinha sido patenteada pela Huawei.Os rumores apontam ainda que sejam incluídas cinco câmaras no total, três na parte traseira e duas na parte frontal e que o processador Kirin 980 seja incorporado. Este será o chip que a Huawei irá utilizar nos seus próximos dispositivos e promete um alto desempenho.Até ao lançamento ainda muito se irá descobrir, tanto do Mate 20 Pro como do Mate 20 Normal, sendo provável que a Huawei volte a apostar fortemente para tentar conquistar o primeiro lugar do mercado dos smartphones.source: pplware.sapo.pt